3 de jul de 2018

5 perguntas que bons desenvolvedores front-end se fazem

Udacity Brasil

Desenvolvedores de web front-end têm um grande trabalho a fazer: é responsabilidade deles deixar a internet maravilhosa. É sério. Sabe todas as coisas legais que você consegue fazer online, como votar em fotos de filhotes fofos, compartilhar lembranças de férias com seus amigos, mudar o mundo em até 280 caracteres, tornar-se uma sensação online ou aprender a programar um carro autônomo? Nada disso seria possível se não fosse pelas incríveis equipes de front-end que existem.

Mas o que esses desenvolvedores front-end fazem todos os dias? Que perguntas se fazem conforme criam o universo da World Wide Web?

Assista ao webinar: Carreira em front-end: principais tendências

5 perguntas que desenvolvedores front-end se fazem

1. Isso vai quebrar?

OK, a internet pode ter mentido para você. Sabe como todos os tutoriais e aulas online – inclusive da Udacity – fazem com que os códigos pareçam fáceis? Você nos vê digitar, digitar e digitar (sem erros, claro), apertar enter e pronto! O código funciona perfeitamente.

Isso é porque estamos usando a tecnologia de edição de vídeo para pular a parte em que tudo quebra e meu Deus do céu, por que esse script não está funcionando agora?!

Tudo quebra. O tempo todo. Bons desenvolvedores front-end estão constantemente testando seus códigos para garantir que tudo está funcionando como deveria. Erros e bugs são um problema especial para eles porque o lado do usuário do JavaScript frequentemente falha em silêncio, o que significa que não há uma mensagem clara de erro e o único jeito de saber que algo está errado é porque... Bem, algo parece errado.

Também são raros os bugs de HTML e CSS que produzem erros. Ao invés disso, a página simplesmente parece estranha e é seu trabalho cortar e mergulhar por toda a floresta de HTML e CSS para encontrar a fonte do problema.

Desenvolvedores front-end economizam o próprio tempo (e paciência) ao testar seus códigos sempre que possível.

Leia: Saiba como ter uma carreira como desenvolvedor front-end

2. Como posso tornar isso melhor?

Desenvolvedores front-end encontram muitos obstáculos conforme desenvolvem sites com features que antes eram impossíveis. Obstáculos desse nível representam passos ou pausas desnecessárias no fluxo de trabalho.

Se você quer ir tão rápido quanto for possível do ponto A ao ponto B, mas se por alguma razão há uma lombada no meio da rua apesar do fato que não há nenhuma criança ou outro carro ao seu redor, o que você deve fazer? Achatá-la.

Engenheiros de fornt-end frequentemente trabalhar com novas tecnologias e ferramentas customizadas. Ao contrário dos fluxos de trabalho rápidos e arrumados que criam para seus usuários, o processo de construir sites envolve interfaces desajeitadas e operações repetitivas.

Escrever códigos. Salvar códigos. Reiniciar o servidor. Abrir o browser. Navegar até o site. Abrir o DevTools. Colar script. Digitar comando. Ver resultados. Atualizar a página. Fazer tudo de novo trinta vezes por dia. Lombadas para reduzir a velocidade não são apenas frustrantes, mas levam a muito tempo desperdiçado.

Bons desenvolvedores front-end pensam cuidadosamente sobre seus fluxos de trabalho e tentam achar ar lombadas quando podem. Reconhecem que alguns minutos extras gastos automatizando seu trabalho ou removendo passos desnecessários economiza muito tempo e frustração no longo prazo.

3. Como as pessoas vão usar isso?

Todo desenvolvedor front-end cria produtos especificamente feitos para pessoas. Outros engenheiros de software podem se encontrar construindo interfaces entre camadas de aplicações ou escrevendo códigos que são executados em segundo plano e por isso lidam as perfeitamente lógicas interfaces de computador. Já a interface entre humanos e sites oferece um conjunto único de desafios.

Portanto, desenvolvedores front-end precisam se perguntar constantemente qual é a reação das pessoas ao seu trabalho. Sim, o botão que você acaba de desenvolver representa o ápice do HTML bem escrito, mas uma pessoa vão querer clicar nele? Esse é um desafio totalmente diferente.

Como desenvolvedores front-end fazem sites nascerem, são forçados a dar um passo para trás e considerar como as pessoas, que são temperamentais e impacientes, vão reagir e passar pelo fluxo. Campos de estudo que focam em humanos como psucologia, ciência comportamental e teoria do design entram em jogo conforme desenvolvedores front-end tentam dar forma e aperfeiçoar visitas a um site.

Leia: 3 opções de carreira para desenvolvedores web: front-end vs. back-end vs. full stack

4. O que posso fazer com isso?

Há uma vasta gama de possibilidades quando se trata de tecnologias de desenvolvimento front-end. Você tem AngularJS e BackboneJS caso queira que seus sites sigam um modelo MVC. Pode mergulhar nos componentes web se quiser introduzir princípios orientados a objetos aos seus componentes visuais. Frameworks de CSS como Bootstrap e Foundation oferecem muito mais que apenas um sistema de grif. E, claro, há o grande jQuery, que facilita a manipulação do DOM.

Uma vez que decidam implementar uma dada tecnologia em um projeto, desenvolvedores front-end experimentam, mergulham na documentação e entram em contato com outros desenvolvedores que já a empregam para entender tanto quanto for possível.

Construir uma compreensão profunda da tecnologia permite que desenvolvedores front-end não apenas construam grandes sites, mas também ultrapassem os limites do que a tecnologia de front-end pode realizar.

5. O que é essa coisa nova?

A tecnologia muda muito depressa. UAU! Sim, eu sei: você está chocado.

As ferramentas por trás da web estão evoluindo tão rapidamente quanto os sites construídos com ela. Desenvolvedores front-end precisam manter-se atualizados em relação à melhor ou mais recente tecnologia ou correm o risco de ficarem para trás.

Há muitas razões para aprender novas tecnologias. Há uma grande chance de que sua performance possa melhorar. Você pode encontrar ferramentas que permitem que você investigue seus sites de maneiras que até agora não imaginava. Pode encontrar tecnologias que simplificam seu código ou seu fluxo de trabalho. Ou pode abrir um novo leque de oportunidades para simplesmente fazer sites melhores.

Experimentar constantemente com novas tecnologias é a única maneira de se manter atualizado. A boa nova é que a internet está cheia de recursos gratuitos para auxiliá-lo a aprendê-las (incluindo a Udacity!). Alguém falou sobre algo legal? Então dê-lhe uma chance – pode ser de grande valia para sua carreira.

Leia também:

Artigo originalmente publicado no blog americano da Udacity

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.