17 de jul de 2017

Marketing Digital: como a análise de dados se tornou essencial?

Udacity Brasil

O marketing digital tem passado por mudanças constantes desde que se consolidou como estratégia para atração e relacionamento com os clientes. Novas tecnologias impactam diretamente no desenvolvimento das soluções de marketing. Mais recentemente, a análise de dados se destaca nesse cenário.

O uso de big data para construção de estratégias de marketing digital já é uma realidade em empresas de diferentes tamanhos e segmentos. Na área de tecnologia, essa presença é ainda mais determinante.

Quem usa análise de dados no mercado?

Utilizar big data tem como objetivo melhorar processos e proporcionar insights valiosos a partir da análise de grandes volumes de dados. Quando voltado para o marketing, isso é possível por meio do data marketing, pois os dados auxiliam na decisão estratégica da área.

Atualmente, diversas empresas empregam o data marketing para direcionar a tomada de decisão, tornando-a mais relevantes para o público e para o negócio. Entre essas companhias, destacam-se:

Facebook

O Facebook usa big data para realizar diversas mudanças nas experiências dos usuários na rede social. Entre as novas interações — possíveis a partir da análise de dados — estão os flashbacks que permitem ao usuário rever momentos compartilhados com amigos ou mesmo em datas comemorativas, como no aniversário.

A grande quantidade de dados que o Facebook possui sobre os usuários também permite que a mídia social identifique uma tendência para, rapidamente, desenvolver uma ação de marketing em resposta.

Um exemplo foi a sugestão aos usuários para incluir uma bandeira LGBT na foto de perfil no dia da aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos — impactando milhões de usuários.

Google

O uso da análise de dados também é central na estratégia de marketing do Google, visando melhorar o direcionamento de campanhas e mensagens de acordo com as preferências do usuário.

Esse elemento constitui um importante pilar da receita do Google. De acordo com Brian Stevens, vice-presidente de plataforma em nuvem da empresa, atualmente, tudo se resume em análise de dados.

Além de usar big data para melhorar a experiência dos usuários, o objetivo do Google é fornecer bases para que novas companhias analisem os dados usando o serviço de computação na nuvem da empresa.

Hootsuite

A Hootsuite é outra empresa que está interessada em como os dados, quando bem utilizados, podem agregar valor na tomada de decisão do negócio. Em um artigo do CEO da empresa, Ryan Holmes destacou o potencial da análise de dados.

Para ele, é necessário unir os softwares modernos com um time de especialistas em análise de dados, valorizando o papel da formação dos profissionais que atuam na área. Assim, é possível “democratizar os insights” proporcionados com o estudo dessas informações.

Para usar big data adequadamente, a Hootsuite destaca a importância da automação e a necessidade de identificar — e separar — os ruídos presentes nos dados.

Amazon

Um dos principais exemplos quando se fala sobre o potencial do uso de big data é a Amazon. A empresa adotou uma cultura de análise de dados que afeta todos os setores. Entre as formas práticas de inserir os dados na tomada de decisão incluem-se:

Experiência do usuário: Um exemplo da utilização de dados para melhorar a experiência do usuário é por meio das recomendações personalizadas feitas pela Amazon por meio da análise comportamental dos clientes. A opção de comprar em um clique também afeta esse aspecto.

Tempo de resposta: Por meio da análise de grandes quantidades de informações, a Amazon patenteou o modelo de transporte antecipado. Ele prevê em quais regiões determinado produto pode ter mais saída, encaminhando maiores quantidades da mercadoria para estoques mais próximos.

Processos: A análise de dados permite obter vantagens em relação aos preços, otimizando as ofertas de acordo com o mercado em um tempo menor que a concorrência. Também há vantagens relacionadas à gestão da cadeia de suprimentos, que diminuem os custos logísticos da empresa.

MailChimp

A Mailchimp é um provedor de serviços de e-mail que atua em escala global. Com mais de 3 milhões de usuários cadastrados, encaminhando bilhões de e-mails, a empresa voltou-se para a análise de dados com o objetivo de melhorar a experiência dos usuários a partir do conhecimento dos processos.

Dessa forma, a Mailchimp utiliza as informações dos usuários para otimizar processos conjuntos, como tempo de envio, relevância para o destinatário, testes A/B e outros.

Com tais tecnologias, diversas empresas têm aplicado a análise de dados como uma realidade acessível para times de marketing digital. As informações — quando adequadamente organizadas e analisadas — permitem melhorar o conhecimento interno e externo do negócio.

Para que tal cenário se consolide, entretanto, as companhias devem buscar profissionais qualificados e que possam proporcionar insights e desenvolver projetos executáveis a partir do conhecimento gerado.

Como aplicar a análise de dados na estratégia?

A análise de dados já é reconhecida pelos profissionais como uma estratégia necessária para gerar vantagens competitivas. No entanto, realizar o levantamento dos dados é apenas uma das etapas para as quais os profissionais da área devem se preparar.

De acordo com uma pesquisa da KPMG Capital, conduzida com executivos de finanças e inteligência de mercado, 99% dos diretores de TI acreditam que big data é importante para a tomada de decisão.

No entanto, 85% afirmaram encontrar dificuldades para o estudo dos dados. Entre os entrevistados, apenas 25% aplicam os insights gerados em estratégias de mercado.

A dificuldade em aplicar a análise de dados na prática estratégica da empresa está relacionada ao baixo preparo profissional, mas também às novidades do segmento, que tornam a busca por novos conhecimentos constantemente necessária.

Nesse sentido, alguns softwares são importantes aliados para facilitar esses processos. De acordo com uma pesquisa da Rock Content, 99,5% dos entrevistados afirmaram utilizar essas ferramentas no marketing digital.

A pesquisa ainda indicou o uso de analytics por 94% dos entrevistados. A ferramenta mais comum é o Google Analytics, citada por 98,3% das agências, enquanto o Google Search Console está em segundo com 34,3% da preferência.

Ao unir as oportunidades tecnológicas com o conhecimento dos recursos para a análise de dados, o profissional compreende melhor as demandas do mercado e também o comportamento do público.

Como unir análise de dados e marketing digital?

Como unir análise de dados e marketing digital?

No marketing digital, as informações recolhidas para Big Data Analytics podem ter origens diversas — de acordo com os objetivos da empresa com a análise de dados. Entre as fontes usadas por cientistas de dados podemos destacar:

  • ferramentas de BI;
  • conteúdo das mídias sociais;
  • relatórios de empresas;
  • pesquisas de mercado;
  • indicadores macroeconômicos;
  • contatos dos clientes com o SAC;
  • pesquisas de qualidade e satisfação.

Entre as ferramentas, destacam-se a Alterix e Tableau. Para que o profissional possa se consolidar no mercado, é importante conhecer as tecnologias usadas para o estudo de big data.

A pesquisa da IBM sobre o tema identifica um crescimento na análise de dados no Brasil. De acordo com o estudo, houve um crescimento de 90%, entre 2010 e 2012, das empresas que reportam vantagens competitivas relacionadas à investigação de dados.

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.