Bolsa alemã cria índices para empresas que trabalham com inteligência artificial

Udacity Brasil
19 de fev de 2018

Em janeiro de 2018, a STOXX, operadora da Bolsa de Frankfurt, lançou novos índices para acompanhar exclusivamente empresas envolvidas com inteligência artificial (IA).

O potencial econômico existe. Segundo dados da Tractica, uma empresa especializada em pesquisas de mercado, a receita anual de vendas de softwares que envolvem IA deve subir de 3,2 bilhões de dólares em 2016 para 89,8 bilhões de dólares em 2025.

"Tecnologias de IA apresentam uma oportunidade de investimento sem igual, mas investidores precisam de soluções que diferenciem o hype de oportunidades reais", explicou Matteo Andreetto, CEO da STOXX.

Leia: AI, ML, DL... Entenda as siglas por trás da revolução tecnológica

O jeito encontrado pela operadora, responsável por uma das bolsas de valores mais importantes do mundo, foi criar dois conjuntos de critérios.

Um deles acompanha companhias que tem mais de metade de sua receita relacionada à IA. O outro é baseado em empresas que investem pesado em inovações em inteligência artificial, como Apple, Facebook e Bank of America.

Neste último caso, as companhias são selecionadas por um sistema de inteligência artificial próprio da STOXX, que investiga quantos registros de patentes de IA cada uma fez nos últimos três anos.

É um campo bastante dinâmico e fértil para insights, já que as empresas estão continuamente desenvolvendo e pesquisando novas ideias. Em 2017, a IBM foi a campeã de registros de patentes gerais nos EUA (foram 9043), seguida pela Samsung (5837) e pela Canon (3285). O Google registrou quase 2500 e a Microsoft, mais de 2400.