Carro inteligente da Volkswagen é lançado no Brasil

Udacity Brasil
21 de dez de 2017

A Volkswagen apresentou no último mês sua mais recente novidade no mundo da inteligência artificial (AI). Trata-se do sedã Virtus, primeiro carro lançado aqui no Brasil pela montadora alemã com recursos inéditos de conectividade e digitalização.

Essas funcionalidades baseadas em AI irão operar como um assistente do motorista, a fim de auxiliá-lo em tarefas como agendamento da próxima revisão do automóvel ou resolução de problemas técnicos do carro — e, numa fase mais avançada do projeto, será possível até mesmo pedir comida. Há também a opção de programar números de telefone para chamadas automáticas em situações de emergência.

O modelo inteligente é uma parceria da Volks com a IBM, garantindo que o veículo já venha equipado com sistemas criados a partir da tecnologia cognitiva Watson. Com isso, será possível oferecer aos clientes um ecossistema digital completo.

Ao lado dos Estados Unidos e da China, o Brasil foi um dos países selecionados para oferecer essa primeira frota de carros inteligentes da montadora. A estratégia de incentivar a produção nacional tem como objetivo recuperar o mercado no país, a fim de reconquistar a liderança até o ano de 2020, segundo Pablo Di Si, presidente da Volkswagen na América do Sul e no Brasil.

A fabricação do Virtus já está acontecendo no complexo industrial de São Bernardo do Campo, em São Paulo, mas ainda não foi estipulada uma data exata para se iniciar a comercialização dos veículos inteligentes, assim como o preço também não foi divulgado. Especula-se que as vendas comecem entre janeiro e fevereiro de 2018, com valor a partir de R$ 60 mil.

Após adquirir o Virtus, o motorista poderá baixar gratuitamente o aplicativo da Volkswagen, seja na versão iOS ou Android. O app irá oferecer, em seu sistema de busca, tanto campos para digitação quanto um microfone para que o usuário possa utilizar comando de voz. E uma curiosidade: a tecnologia não só será capaz de reconhecer sotaques, como também entenderá linguagens abreviadas (como "vc" ao invés de "você" ou "qd" no lugar de "quando"), sempre utilizando um tom mais próximo e pessoal para responder.

Caso exista alguma dúvida que o assistente não consiga solucionar, ele encaminhará a pergunta diretamente para a Central de Relacionamento com o Cliente da Volkswagen Brasil. O foco é nunca deixar o motorista sem resposta.

E mais: Indústria utiliza VR para diminuir custos

A fabricante de gás White Martins está adotando Realidade Virtual (VR) com o intuito de otimizar os custos da sua operação. Para realizar uma varredura de segurança em uma planta localizada em Pecém, no Ceará, a empresa já não precisa mais arcar com altos custos de viagem para seus engenheiros alocados no Rio de Janeiro — a 2,7 mil km de distância. Do escritório carioca, a equipe consegue acompanhar as obras na região e, se necessário, corrigir possíveis falhas no projeto, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

Isso só é possível graças à utilização de óculos de VR. O time define quais áreas da planta deseja mapear para que, então, um engenheiro vá ao local captar imagens a partir de uma câmera localizada em seu capacete de segurança. Todas as fotos são transformadas em um mapa 3D da unidade, permitindo uma inspeção à distância pelos demais engenheiros.

De acordo com Rodrigo Barbosa, gerente de empreendimentos da White Martins, a organização atingiu cerca de 70% de redução de custos, considerando deslocamento com viagens, logística e horas de trabalho em campo — bem como diminuição do risco de acidentes. Antes de adotar Realidade Virtual, uma equipe de seis engenheiros era enviada às plantas de todo o país para supervisionar o andamento e as condições de segurança das obras.

Crédito da imagem: Divulgação/Imprensa Volkswagen