6 passos para se tornar um desenvolvedor mobile

Udacity Brasil
1 de fev de 2018

O que é preciso para se tornar um desenvolvedor mobile?

Para Alify Pires, essa pergunta foi uma das motivações para que ele pudesse retomar um sonho.

Desde os 14 anos, sabia que era um entusiasta da tecnologia e, com o próprio celular, já explorava um mundo de possibilidades. Entretanto, antes mesmo de começar a faculdade, começou a trabalhar em outra área e deixou de lado a vontade de ser um desenvolvedor mobile – mas não por muito tempo.

Imerso em seu novo emprego na área financeira de um banco público, Alify guardou sua paixão pela tecnologia e se dedicou a crescer na empresa, onde ainda trabalha.

O profissional, inclusive, buscou certificações e especializações da indústria, especializando-se principalmente no mercado de ações e em investimentos.

Com o tempo, no entanto, ele começou a se sentir desmotivado com o trabalho e sentiu que era a hora de resgatar o que realmente lhe interessava: tecnologia.

Mas por onde começar?

1. Trabalhe o seu background de conhecimentos

Apesar de fazer pesquisas e testes por conta própria, Alify ainda não tinha nenhum background profissional na área de tecnologia.

Em suas buscas, encontrou no Nanodegree Android Basics, da Udacity, o curso ideal para dar o primeiro passo rumo a esse aprendizado.

E o timing não poderia ter sido melhor! “Eu passava por um período de desmotivação com meu trabalho e pensava o tempo todo em como seria minha carreira se eu trabalhasse com tecnologia. Basicamente, a Udacity me resgatou disso e me mostrou que eu era capaz de recomeçar e aprender o que quisesse”, explica.

Para Alify, aprender a ser desenvolvedor mobile do zero foi um grande desafio, mas ele contava com um grande impulso pessoal: aprender cada vez mais sobre tecnologia e, futuramente, enxergar-se atuando ali.

"O curso da Udacity me ajudou muito profissionalmente, na área acadêmica — minhas notas na faculdade melhoraram muito — e psicologicamente, porque aprendi também a confiar no meu potencial para aprender e ser um lifelong learner", completa.

2. Escolha um foco

Na hora de escolher o Nanodegree ideal em meio às opções oferecidas pela Udacity, Alify lembra que prezou pela empregabilidade do sistema operacional Android, mas também focou na vontade de retomar algumas tentativas anteriormente deixadas de lado.

“Desde os 14 anos, eu já tinha curiosidade para saber como tudo no Android funcionava. No curso, acabei me apaixonando ainda mais por esse sistema operacional”, conta.

Foi assim que optou pelo Nanodegree Android Basics, que lhe ajudou a reavivar o entusiasmo pela tecnologia.

E ele não ficou no básico! Logo após finalizar o primeiro Nanodegree, Alify já se inscreveu e começou o programa Nanodegree Desenvolvedor Android.

“Se dependesse de mim, eu zeraria a Udacity! Já tenho a data da minha segunda graduação programada e fico pensando em qual será a próxima”, afirma.

3. Faça cursos voltados para o mercado prático

Como a experiência profissional em outra área veio cedo — aos 20 anos —, Alify iniciou a faculdade mais tarde do que gostaria. Atualmente, completa o primeiro ano de uma graduação à distância em Ciência da Computação.

A faculdade escolhida fica nos Estados Unidos e o curso é focado em data science.

“Quando comecei o Android Basics na Udacity, estava aprendendo programação na faculdade e usando JavaScript. Aprendia muito sobre programação especializada na faculdade e aplicava grande parte disso nos meus projetos do Nanodegree. Foi o casamento perfeito”, comemora Alify.

Em sua opinião, a Udacity contribuiu com um direcionamento mais focado na área de Android — e também como uma forma de aplicar os conhecimentos e habilidades técnicas relacionadas à eficiência do código que ele aprendia na universidade.

4. Não tenha medo de começar do zero

Para quem decide começar um Nanodegree sem nenhum background na área, Alify compartilha sua experiência. “Eu comecei bem devagar, aprendendo o passo a passo, mas aos poucos eu vi que a Udacity não te dá as respostas, mas sim te ensina a procurá-las”, conta.

Segundo ele, a evolução da metade para o fim do curso foi impressionante, além de oferecer a possibilidade de utilizar todo o aprendizado prático por meio de projetos como o portfólio.

“Conforme você fica mais independente, a Udacity deixa mais responsabilidades na sua mão. Eles te ensinam a buscar as respostas de maneira autônoma”, ressalta.

5. Construa um portfólio de qualidade

Surpreso com a própria evolução ao longo do Nanodegree Android Basics, Alify pôde construir um portfólio rico e de qualidade, com o acompanhamento e os feedbacks detalhados de mentores e especialistas da equipe.

“Por não ter uma base teórica muito grande, muitas vezes eu usava as revisões e feedbacks como ferramenta para validar coisas que eu não tinha muita segurança ainda. Com isso, fui crescendo e, pouco a pouco, as correções foram diminuindo drasticamente, tornando-se uma reafirmação de um trabalho bem feito”, fala.

Com bases práticas e teóricas mais sólidas, Alify sente-se preparado para ingressar no mercado como desenvolvedor mobile, usando tudo que aprendeu ao longo do curso — e o portfólio construído — com confiança.

Além disso, ressalta que recebe muito mais visualizações em redes profissionais, como o LinkedIn, e percebe um avanço em sua desenvoltura nos processos seletivos.

Atualmente, já atende clientes como freelancer e usa as bases do que aprendeu na Udacity para desenvolver novos projetos.

“Estou trabalhando em um aplicativo de gerenciamento de estoque para um cliente e para isso uso a base de um aplicativo de adoção de cães e gatos que desenvolvi durante o Nanodegree”, explica.

6. Trabalhe seu networking desde o princípio

Já graduado no Nanodegree Android Basics, Alify deu continuidade ao aprendizado na Udacity e, atualmente, cursa o Nanodegree Desenvolvedor Android, com graduação prevista para junho deste ano.

E para começar 2018 planejando a carreira como desenvolvedor mobile, Alify está atualmente construindo uma reserva financeira e se preparando para pedir uma licença do emprego atual.

“Minha ideia é me concentrar inteiramente na minha segunda graduação na Udacity e, assim que concluí-la, me dedicar totalmente à carreira”, comenta.

Além do aprendizado teórico e prático, a Udacity também oferece aos alunos uma extensa rede de contatos e oportunidades, desde profissionais que atuam como mentores até os próprios alunos e graduados presentes nos fóruns de comunicação e no canal do Slack.

“Sempre vejo oportunidades nesses canais – vindas até mesmo de alunos graduados que repassam vagas porque já estão empregados", diz. "É uma rede de networking fantástica e que nos motiva muito em relação às oportunidades de mercado."

A palavra final de um desenvolvedor mobile

Alify afirma que, a partir de sua experiência na Udacity, aprendeu duas atitudes fundamentais para ser um bom profissional em qualquer área: acreditar no seu potencial e aprender a aprender.

Para ele, começar do zero foi um grande desafio.

Contudo, com o apoio de uma metodologia que o ensinou a ser um aprendiz mais autônomo, persistir no aprendizado e, principalmente, estar sempre em busca de conhecimento e atualização, Alify não só resgatou a carreira dos seus sonhos como também deu os primeiros passos para torná-la realidade.

"A Udacity é o caminho que eu estou seguindo para ser um desenvolvedor mobile, além de ser uma grande parceira de sucesso para realizar meu sonho", conclui.

E você, o que está esperando para dar o primeiro passo em direção à carreira dos seus sonhos? Conheça agora o Nanodegree Android Basics da Udacity!