27 de set de 2017

Construindo o futuro do transporte inteligente

Nicholas Roy

Durante muitos séculos, as inovações que ocorreram no setor de transportes foram propulsoras de mudanças drásticas em toda a vida humana, uma vez que transformaram significativamente indústrias, culturas e geografias. Em solo, já evoluímos de carroças cobertas usadas em caravanas até carros autônomos; no céu, começamos com balões de ar quente até chegarmos aos drones. Nosso mundo ia mudando conforme desenvolvíamos novos meios de atravessá-lo. E, do jeito que a tecnologia vem avançando, a fronteira entre terra e ar começa a desaparecer.

A Udactity apresenta o programa Nanodegree Voo Autônomo

Os voos autônomos são a definição de uma nova visão do futuro dos transportes. Ao lançar o programa Nanodegree Voo Autônomo, nosso objetivo é ensinar a uma nova geração de engenheiros as habilidades necessárias para construir o futuro desse meio de transporte inteligente. Queremos ensinar nossos alunos a desenvolverem objetos que vão muito além da geração atual de quadricópteros e drones, que são meramente controlados de maneira remota, e dar-lhes as habilidades necessárias para criar veículos de voo autônomo que serão cruciais para os sistemas de transporte do futuro.

Nosso currículo, inicialmente, focará nos conceitos básicos de voos autônomos, incluindo planejamento de movimentos e estimativa de estados, controle e percepção. Porém, no decorrer dos dois períodos seguintes, os alunos conseguirão entender o quadro geral do sistema dos voos autônomos (incluindo os desafios que envolvem confiabilidade e segurança) e onde isso se encaixa no sistema de transportes como um todo. Eles desenvolverão competências em integração de sistemas por meio de projetos práticos que incluem tanto simulações de voo como a opção de implantação de um código em um pequeno avião. Nossos alunos utilizarão conhecimento conceitual e as habilidades de software necessárias para desenvolver um sistema de voo para um veículo autônomo que, por sua vez, poderá completar missões complexas em ambientes urbanos.

Meus colegas instrutores neste programa: Sebastian Thrun, Raffaello D'Andrea e Angela Schoellig

Estou muito empolgado em desenvolver este programa junto à Udacity em parceria com seu fundador, Sebastian Thrun; Raff D'Andrea, cofundador da Kiva Systems; e Angela Schoellig, professora do Instituto de Estudos Aeroespaciais da Universidade de Toronto. Esta é uma oportunidade única para unir muitos especialistas de diversas áreas de conhecimento. Naturalmente, as contribuições que Sebastian trouxe para o campo da autonomia são muito conhecidas, e seu último trabalho com Kitty Hawk apresentou uma integração única do que há de mais moderno em tecnologia. Raffaello, por sua vez, traz em seu portfólio uma combinação de virtuosidade técnica e sensibilidade artística que são igualmente raras e notáveis nesta área. Angela vem realizando aplicações recentes no campo do planejamento de movimentos, controle e aprendizagem de algoritmos para veículos autônomos, sendo que essas aplicações apresentam avanços impressionantes em desempenho, segurança e autonomia. Estou incrivelmente animado por poder trabalhar com esses colegas tão talentosos, que me ajudarão a auxiliar estudantes de todo o mundo com perguntas profundas e técnicas no domínio da segurança e confiabilidade de voos autônomos.

Tecnologia de voo autônomo e bem-estar social

As potenciais aplicações das tecnologias de voos autônomos são impressionantes, e nós já podemos ver exemplos vertiginosos disso. Recentemente, foi publicado na revista Wired que os drones vêm sendo um dos protagonistas na ajuda às vítimas do furacão Harvey, em Houston, no Texas. Eles estão sendo responsáveis por realizar as verificações de segurança, que determinarão quando os moradores poderão voltar para suas casas. Os drones também vêm colhendo informações sobre os danos causados a pontes, rodovias e estações de tratamento de água e ajudando a identificar pontos de inundação e problemas de drenagem. Em uma reportagem da NPR, empresas de telecomunicações como AT&T e Verizon estão utilizando os drones para fazer reparações de emergência em call-centers e antenas de celulares. A Fortune mostrou como duas das três maiores seguradoras do Texas, a Allstate e a Farmers Insurance, estão recorrendo aos drones para atender aos chamados de seus segurados, permitindo que as vítimas sejam compensadas mais rapidamente. Os drones já começaram seus trabalhos na Flórida, algo que ganhou destaque no noticiário da NBC: Hurricanes Show Why Drones Are the Future of Disaster Relief (em tradução literal, “Furacões mostram por que os drones são o futuro da ajuda a desastres”).

Porém, mesmo esses veículos necessitam de um humano fazendo um esforço grandioso para pilotá-lo. A tecnologia de voos autônomos pode fazer uma diferença positiva e poderosa em nosso mundo. Um artigo recente, intitulado 9 brilliant ways drones can help tackle the world's biggest problems (em tradução literal, “Nove maneiras brilhantes como os drones podem nos ajudar a resolver os problemas do mundo”), aborda tudo o que os drones podem fazer, desde distribuição de itens para ajuda humanitária, passando por controle de poluição até o combate à caça e exploração de madeira ilegal. Alison Cohan, diretor de conservação das florestas de Maui Nui (Havaí), fez a seguinte observação: “Os drones estão revolucionando a forma como a conservação da vida nas florestas está sendo conduzida, de uma maneira muito mais barata do que enviando helicópteros ou equipes terrestres”. Esta combinação de eficiência e custo está fazendo com que os drones comecem a se destacar em diversos campos, como construção, agricultura, logística e até mesmo previsão do tempo.

Construindo o futuro do transporte inteligente

Um abrangente estudo publicado recentemente na revista The Economist abordou o assunto de "táxis voadores autônomos", observando que algumas empresas, incluindo a Airbus, Uber e Kitty Hawk, estão trabalhando nos protótipos de voos autônomos. O artigo da The Economist também especifica que o planejamento de voo dos drones ainda é um obstáculo, e especialmente difícil quando esse voo é conduzido por um operador - problemas esses que poderão ser sanados por nossos alunos.

O programa Nanodegree Voo Autônomo terá início no começo de 2018. Até lá, Sebastian, Raffaello, Angela e eu, juntamente à equipe de voos autônomos da Udacity, trabalharemos muito para concluir a grade curricular do curso. Mal posso esperar para abrir as portas da sala de aula aos primeiros alunos.

Os voos autônomos estão muito longe da realidade, mas os primeiros protótipos já estão no ar e, nos próximos anos, veremos enormes progressos nesse campo. Inclusive, há pouco tempo, foi anunciado que a Toyota está se empenhando para conseguir estrear seu veículo de transporte aéreo autônomo nas Olimpíadas de 2020! Se eles vão alcançar essa meta ou não, não sabemos, mas, não há dúvidas de que um novo futuro nos meios de transporte está sendo construído agora, enquanto você lê este texto. Este futuro mesclará terra e céu, aproveitando o melhor de cada um dos veículos, pilotáveis ou autônomos. Estes novos veículos expandirão nosso alcance, tornando possível o impossível. Assim como fizeram as antigas carroças.


Sobre o autor
Nicholas Roy