5 de out de 2018

Curso online vale a pena? Especialista em recrutamento responde

Udacity Brasil

Como se encaixar em um mercado que exige cada vez mais especialização e, ao mesmo tempo, um perfil multitarefas? Não é à toa que nos últimos anos a quantidade de cursos disponíveis online tem crescido na tentativa de preencher essas lacunas na formação dos jovens profissionais. Trata-se de uma boa ferramenta para quem quer desenvolver novas habilidades e dar um upgrade na carreira – sem sair de casa.

Para Renato Trindade, gerente da consultoria global Page Personnel e especialista em recrutamento para a área de tecnologia, os cursos online são ótimos aliados para quem quer apostar em novos conhecimentos. Ele explica, ainda, que esse investimento é um grande diferencial no mercado.

“A velocidade com que as tecnologias são inseridas em todos os mercados traz a necessidade constante de novas especializações. Quem procura conhecimento se destaca, ganha espaço, é mais confiante e tem muitas oportunidades de crescimento”, diz ele.

Leia também: Estudar na Udacity vale a pena?

Como desenvolver as habilidades desejadas

Na hora de buscar um curso online, compreender qual habilidade você precisa desenvolver para avançar na carreira é fundamental. “O profissional pode aumentar o conhecimento que já possui em um tema ou investir em algo novo. Cada área do mercado forma pessoas com habilidades distintas, como administração, marketing, finanças”, explica Renato. “Para se destacar é essencial estar em constante evolução, seja para se aprimorar no que já tem ou para adquirir novas habilidades.”

Segundo ele, nem sempre cursos universitários proporcionam essas formações específicas, fazendo do curso online uma boa opção para adquiri-las. “Um engenheiro tem uma habilidade técnica e de raciocínio lógico muito forte, porém os cursos de engenharia não desenvolvem áreas administrativas ou de comunicação. Já quem segue as áreas de humanas desenvolve excelentes habilidades de comunicação, de trabalho em equipe e de criatividade, mas muitas vezes não tem habilidades de planejamento e de execução.”

Agregar conhecimento, porém, é só o primeiro passo para avançar na carreira por meio do estudo: colocar o know how em prática é o verdadeiro desafio. “Em muitas situações, conquistamos novas habilidades, mas não temos a atitude necessária para aplicá-las no dia a dia”, comenta Renato. A dica dele é ter ambição para fazer sempre mais e melhor. “O profissional que quer testar suas habilidades deve viver se desafiando e sair da zona de conforto.”

Uma maneira de demonstrar esse comportamento se traduz, por exemplo, em tentativas de encontrar formas diferentes e mais rápidas de solucionar os mesmos problemas no dia a dia – automatizando uma planilha através da programação ou otimizando uma campanha de marketing com novas métricas, por exemplo.

“A busca constante pela melhoria e pela evolução vão naturalmente colocar em evidência as novas habilidades adquiridas”, aposta Renato.

Leia também: Descubra 6 habilidades que estão em alta no mercado

Como as empresas encaram os cursos online

Ele conta que os cursos online, quando surgiram há cerca de uma década, foram bastante criticados por fugirem do modelo tradicional. Hoje, no entanto, essa percepção tem mudado, inclusive dentro de grandes empresas. “Às vezes esse tipo de curso pode ensinar mais do que cursos presenciais. Tudo vai depender do profissional que está em busca de conhecimento e do quanto ele vai investir e se aplicar para estudar”, avalia.

Ele explica que, mais do que o renome da instituição, o que realmente faz a diferença na competitividade do mercado são a vontade de aprender e a capacidade de colocar o know-how adquirido em prática.

“O certificado é importante – ele agrega credibilidade e passa mais confiança –, mas as empresas vão tentar entender se o candidato realmente possui aquele conhecimento e se ele tem as habilidades necessárias para determinada competência.”

Por isso, mostrar iniciativa para se especializar e deixar claro que você tem potencial para aplicar no dia a dia as informações transmitidas por um curso online são atitudes valorizadas pelos gestores. “Hoje o importante é evoluir o seu grau de conhecimento”, atesta Renato.

Isso é possível através da construção e atualização de um portfólio profissional, que pode inclusive envolver projetos pessoais. Aprendeu recentemente a analisar um banco de dados com SQL, por exemplo? Então coloque seu código no GitHub e um link para ele no LinkedIn. Use sua criatividade e pratique!

Leia também: Dia do estudante: conheça as histórias de graduados da Udacity

Como escolher um curso online adequado para você

O universo dos cursos online é bastante amplo, e desbravá-lo para encontrar o que mais se adequa para a sua necessidade profissional demanda muita pesquisa.

Além dos diversos tipos, formatos e plataformas disponíveis, existe a possibilidade de fazer cursos brasileiros ou internacionais – e dependendo do assunto, são muitas as opções disponíveis. “Áreas mais técnicas, como tecnologia, possuem uma gama enorme de especializações online de altíssimo nível”, diz Renato.

Segundo ele, entender qual é o conteúdo e a abrangência do curso (ao solicitar uma ementa ou ler uma resenha, por exemplo) e conversar com pessoas que já experimentaram algo próximo do que você procura (para descobrir as habilidades de dia a dia) são bons pontos de partida para encontrar cursos online que façam sentido para o momento da sua carreira. A pesquisa, o entendimento e a comparação com cursos internacionais ajudam na tomada de decisão.

E depois de tudo isso, fazer um curso online vale a pena? Para Renato, a resposta é sempre positiva. “Vale, sim. Se for feito com dedicação e foco, um curso online pode capacitar tanto quanto qualquer curso presencial. Qualquer forma de aumentar ou adquirir conhecimento é válida para a vida profissional.”

Saiba mais sobre estudo online:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.