23 de abr de 2018

Como a 'universidade de dados' da Airbnb incentiva uma cultura orientada a resultados

Udacity Brasil

Embora a ciência de dados seja uma das áreas mais promissoras do mercado, o número de profissionais que atuam nesse setor ainda é relativamente pequeno. Para resolver este problema, o Airbnb decidiu ir além das táticas frequentes na disputa por talentos, como a oferta de salários vultuosos: criou sua própria “universidade de dados” para capacitar os funcionários.

A Data University foi anunciada pela startup – atualmente avaliada em quase 30 bilhões de dólares – em maio de 2017. A principal ideia não era apenas formar cientistas de dados capazes de atuar em seus projetos – há 100 deles na organização –, mas tornar toda a equipe, da área de TI ao RH, um pouco mais informada com relação aos benefícios que a data science pode trazer.

Por isso, a universidade oferece cursos de três níveis diferentes. O primeiro deles recebe o nome de “Data Awareness”, algo como “consciência de dados”, e ensina técnicas de estatística introdutória e capacita os alunos a analisar dados com mais cuidado, de forma a tomar decisões da maneira mais bem embasada possível.

Depois vem o curso de "Data Collection and Visualization” (coleta e visualização de dados), mais voltado para colaboradores com background em programação. Ele aborda maneiras de extrair dados a partir dos sistemas da empresa e como organizá-los para gerar insights significativos para diversas áreas da organização.

Nele são explorados alguns aspectos de SQL, uma linguagem para manipular bancos de dados, e como utilizar testes A/B e Tableau, uma ferramenta de visualização de dados – tudo coberto também pelo Nanodegree Fundamentos de Data Science II.

Finalmente, o nível mais sofisticado de curso que a universidade oferece se chama “Data at Scale”, ou dados em escala. Ele versa sobre as técnicas e ferramentas necessárias para gerar e organizar dados no volume massivo que uma plataforma como a Airbnb movimenta. Ali são estudados assuntos como machine learning e data logging, bem como as linguagens Python e R.

"A educação sobre dados era a peça que faltava", disse Jeff Feng, que gerencia o projeto e é chefe da área de machine learning e product analytics da startup. Tudo casa muito bem com a abordagem do Airbnb em relação à data science, resumida pelo profissional abaixo:

Os 4 princípios de data science do Airbnb

  • Data scientists estão em todos os times
  • Experimentos formam a base para a construção de produtos
  • Dados e ferramentas são críticos para escalar
  • Todos deveriam ser capacitados para tomar decisões com base em dados

No vídeo acima, Jeff Feng fala sobre data science e experimentos no Airbnb

Os resultados da Data University do Airbnb

Segundo Feng, o experimento foi um sucesso imediato. Seis meses após a “fundação” da universidade, em 2016, 500 pessoas (o que equivalia então a cerca de um oitavo de todos os funcionários da startup) já havia participado de ao menos uma aula – e cada pessoa que participou assistiu, em média, a mais de quatro aulas.

Essa não foi a única mudança na área para deixar data science mais acessível. A Airbnb tem uma plataforma própria de visualização e manipulação de dados que qualquer funcionário da empresa pode acessar (a fintech brasileira Nubank tem algo similar) para ter insights e ideias inovadoras.

Antes da Data University, apenas 30% dos funcionários acessavam a plataforma regularmente. Seis meses depois, essa porcentagem havia saltado para 45%.

A empresa percebeu também que muitas dúvidas que chegavam com frequência à equipe de ciência de dados deixaram de aparecer ou começaram a ser esclarecidas por colaboradores de outras áreas que haviam participados de aulas da Data University.

De acordo com a Wired, outros 700 funcionários da empresa participaram da universidade de dados ao longo de 2017. Este número inclui tanto pessoas entrando pela primeira vez quanto colaboradores que, tendo completado os primeiros níveis, seguiram adiante em seus estudos. Os estudantes têm até mesmo bonés, camisetas e adesivos com o logo da Data University.

Leia: Como a análise de dados na Netflix construiu o sucesso da empresa?

Algumas aplicações de data science no Airbnb

Numa plataforma que tem mais de 4 milhões de anúncios em 191 países, data science é parte fundamental do negócio. Em uma noite qualquer, há 2 milhões de pessoas dormindo em casas encontradas na Airbnb.

Os conhecimentos adquiridos na Data University acabam indo parar em uma série de projetos que ajudam a empresa como um todo a melhorar.

Quando o Airbnb quer testar um novo design para seu site, por exemplo, cria a nova página e torna-a disponível para uma parcela de seus usuários. Em seguida, ela precisa comparar como essa parcela interage com o site e notar as diferenças de interação entre ela e o resto dos usuários (o famoso teste A/B).

E como fazer essa comparação de maneira confiável? Com dados! A empresa pode medir o tempo de permanência dos usuários na página, ver onde eles clicam e comparar o tempo que levam para realizar o que queriam no site novo com o tempo que levavam antes.

Com isso, além de outras pesquisas mais diretas de opinião, equipes de marketing e design podem concluir concluir se a mudança é boa mesmo e se deve ser implementada para todos.

A empresa também pode avaliar como seus usuários estão interagindo com determinados serviços. Por exemplo, o site oferece um serviço de fotografia profissional para os usuários que queiram anunciar seus espaços disponíveis para aluguel com imagens mais bonitas. Com o auxílio de dados, a empresa é capaz de ver quais cidades e países usam mais esse serviço e decidir em quais locais deve investir de maneira mais focada na solução.

E quando as fotos estiverem prontas e o usuário se deparar com um destino sugerido, qual imagem o aplicativo deve te mostrar? De novo, os dados salvam o dia. A empresa pode testar duas imagens diferentes para usuários diferentes e ver quais impactos elas têm sobre as interações.

Talvez uma dela seja melhor, de maneira geral, mas a outras seja vantajosa para pessoas de certos países e faixas etárias – é a análise de dados que vai revelar isso.

Leia: Onde encontrar e baixar dados gratuitamente para tomar decisões de negócios

Por que aprender data science

O grande objetivo da Data University é fazer com que mais pessoas, mesmo aquelas que nunca lidaram com estatística ou Python antes, tenham conhecimento das maneiras como dados podem ajudar a Airbnb a tomar decisões mais acertadas.

Afinal, o volume de dados nas mãos da empresa não para de crescer: todos os dias, 15 bilhões de eventos são registrados na plataforma. Em maio de 2017, a empresa já tinha mais de 25 petabytes de dados em seus servidores.

Através das aulas de data science, pessoas de diversos setores poderão usar as ferramentas de data science no dia a dia, diminuindo as distâncias entre áreas de tecnologia e todas as outras.

No caminho, devem gerar exemplos de usos ainda mais interessantes. Só em 2016, a startup conduziu 2,5 mil experimentos envolvendo 3,3 mil métricas. Ou seja, vontade não falta.

Leia também:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.