Como data science pode impulsionar sua carreira

Udacity Brasil
4 de out de 2017

André Costa sempre gostou de aprender e de se desafiar profissionalmente. Com apenas 24 anos, saiu de Brasília e foi para São Paulo trabalhar em uma startup. Além da mudança de cidade, ele também optou por trocar a área de atuação: da economia para a tecnologia.

O motivo dessa escolha? André viu, em um curso de data science, a chance de transformar a sua carreira e de se tornar um profissional mais preparado para o mercado de trabalho.

Data science: a carreira do futuro

Geramos dados a todo momento, seja durante uma movimentação financeira ou ao registrar um e-mail. Para ser mais exato, são 2,5 quintilhões de bytes produzidos diariamente no mundo, um material valioso que pode ajudar no crescimento de um negócio.

Desvendar o significado desse material produzido online é papel da ciência de dados — data science. Proveniente das áreas de estatística, computação e informática, a especialidade consiste na união e na análise automatizada de milhares de informações com foco na tomada de decisões.

Logo, ser um cientista de dados é conseguir manipular fontes de informações desestruturadas e, a partir disso, criar insights importantes para as empresas. Por essa razão, esse profissional está ganhando cada vez mais prestígio no mercado.

Formado em Economia na Universidade de Brasília (UnB), André conseguiu perceber esse cenário e investiu em aprender mais sobre em data science para mudar o rumo da sua carreira — ele não pensou duas vezes e decidiu aprofundar seu conhecimento em tecnologia.

“O mercado de data science tem muita demanda, mas poucos profissionais qualificados. Quando falamos de dados, precisamos unir a parte mais técnica, que é o desenvolvimento de modelos de previsões, com a parte mais analítica, que são os efeitos desses modelos para a empresa. Essa conexão entre as duas pontas ainda não acontece com muita frequência, e eu vi, nesse espaço, uma oportunidade de me desenvolver na profissão”, revela.

Além de ter mais oportunidades no mercado de trabalho, outro fator relevante para André Costa investir na ciência de dados foi a autonomia. Como ele já teve práticas ligadas ao empreendedorismo na faculdade, sentia a necessidade de vivenciar essa experiência em uma empresa.

“O que mais aprendi, ao participar da empresa júnior e da liga universitária durante a graduação, foi ter autonomia para resolver problemas. Essa característica é muito exigida para quem trabalha com tecnologia, pois é uma área com vários desafios para serem resolvidos. Com o curso de data science, eu desenvolvi ainda mais minhas habilidades técnicas e tenho a oportunidade de utilizá-las em meu trabalho atual”, afirma.

Mudanças significam novas oportunidades

O mundo está em constante mudança e, hoje, quem deseja se sobressair precisa ver novas oportunidades nessas transformações. Em agosto de 2016, André começou a trabalhar na área comercial da Gympass, startup focada em aluguel de academias. Em menos de um ano, ele conseguiu trocar o seu foco de atuação, indo para a área de Business Intelligence (BI) da empresa.

“Quando eu fui para a Gympass como vendedor, queria aprimorar mais as minhas aptidões na hora de vender uma ideia. Trabalhar na área comercial me tirou da zona de conforto e me fez aprender a ter argumentos mais convincentes ao apresentar um projeto. Contudo, sempre gostei de atividades mais analíticas. Por isso, eu me candidatei quando surgiu a vaga de BI. O mais interessante é que os cursos foram relevantes para ocupar essa nova posição, pois me deram conhecimento na construção de modelos baseados em dados”, conta.

Hoje, André desempenha três tipos de atividades na startup:

  • cria relatórios fundamentados na manutenção e na atualização de KPI (Key Performance Indicator) e OKR (Objectives and Key Results);
  • constrói modelos de previsão solicitados pelos diretores;
  • apresenta iniciativas que podem contribuir para a solução de algum problema.

Porém, o mais atraente na profissão, para ele, é poder criar os modelos de previsões. “O projeto de precificação da Gympass, por exemplo, ilustra muito bem a rotina de um cientista de dados. A startup tinha diferentes preços e não sabia qual era o melhor para cobrar dos usuários. Partindo dessa questão, criamos um modelo para analisar e entender como a base de clientes se comportava. Com essa estrutura, conseguimos identificar qual era o melhor preço para cobrar do nosso produto e os valores foram uniformizados em todas as unidades da empresa em São Paulo”, explica.

Exemplos como esse são mais frequentes em empresas focadas em resultados e na experiência do consumidor. O cientista de dados tem como papel entender os hábitos dos usuários, analisar as informações disponibilizadas e, a partir disso, entregar relatórios tangíveis para ajudar a organização a se posicionar no mercado e a potencializar seus negócios.

Adote a mentalidade de sempre aprender

Saber enxergar as oportunidades e adotar a mentalidade de aprendizado constante é essencial para seguir a carreira de cientista de dados — e André Costa optou por esse caminho.

Além do Nanodegree Data Science para Negócios, ele fez mais quatro cursos da Udacity:

E não para por aí. O profissional está começando os estudos no programa Nanodegree Engenheiro de Inteligência Artificial.

“O conhecimento se torna obsoleto muito rápido. Assim, aprender é estar preparado para as mudanças e crescer junto com o segmento. Mesmo que no futuro eu não trabalhe diretamente com data science, cada vez mais as decisões serão baseadas em dados — e eu quero fazer parte dessa realidade”, afirma.

Ao fazer os cursos, além de estar sempre atualizado com os ramos da tecnologia, André destaca a chance de ter um feedback claro de todo o seu desempenho. “Nos programas Nanodegree precisamos fazer projetos e sempre recebemos uma resposta dos mentores do curso, mostrando o que precisamos melhorar. Isso facilita o entendimento sobre os conceitos apresentados nas aulas”, frisa.

Quanto ao futuro, uma coisa é certa: mais informações serão geradas e o profissional com o perfil mais analítico será fundamental nas empresas. Então, o investimento em cursos de data science é imprescindível para um profissional de sucesso.

Se você deseja iniciar os estudos na área, conheça o Nanodegree Fundamentos de Data Science I. É o primeiro passo para desvendar o mundo dos dados!