11 de mai de 2018

Depois de se especializar em React, ele se destacou no mercado

Udacity Brasil

Em 2017, Gabriel Amazonas já trabalhava como desenvolvedor de software em um órgão público quando decidiu continuar os estudos e se atualizar. A escolha não foi à toa: entre desenvolvedores, as inovações são contínuas e se atualizar é o único caminho para crescer.

A ideia inicial era se capacitar para levar novas ideias e desafios para o dia a dia de trabalho – e ele acabou indo além, desenvolvendo apps do começo ao fim com React Native.

Gabriel escolheu estudar React, uma biblioteca de JavaScript favorita entre desenvolvedores de front-end para construir interfaces de usuários, e começou o Nanodegree Desenvolvedor React, curso de React da Udacity.

A escolha foi pautada, principalmente, pelo aprimoramento de suas capacidades profissionais: empresas como Uber e Netflix já adotaram o React em seus aplicativos.

“Equipes assim são referências para o trabalho de muitas pessoas. Quando vamos escolher as tecnologias para um novo aplicativo, nada mais natural do que olhar para quem já surfa nessas grandes ondas e tentar nadar junto deles”, explica.

Leia: React: O que é e como funciona essa ferramenta?

React para avançar na carreira

Mesmo antes de terminar o curso, Gabriel conseguiu colocar seus novos conhecimentos em prática. Durante uma reunião de trabalho, teve a oportunidade de sugerir novas ferramentas e ideias para os aplicativos em desenvolvimento.

Ele propôs utilizar o React e, especificamente, o React Native, voltado para apps. A ideia não só foi aceita como evoluiu: hoje, há uma equipe de 8 desenvolvedores que lidam diariamente com essa tecnologia.

"É algo que eu já fazia no meu dia a dia mas, com os novos conhecimentos, passei a trabalhar melhor e entregar produtos com mais qualidade", conta.

Outro ponto positivo para a carreira foi se tornar referência no assunto dentro da empresa, que ele aproveita para disseminar seu conhecimento e contribuir com o trabalho de outros setores.

“Outras equipes estão sempre em contato comigo e com meus colegas. Isso é muito positivo para mim não apenas como profissional, mas também porque tenho a chance de extrapolar os cenários da empresa, em vez de ficar restrito apenas ao meu time”, afirma.

Entusiasmado com o tema, Gabriel organizou o primeiro encontro presencial de React na cidade do Rio de Janeiro, que teve lotação máxima. “Tive que alugar uma sala de última hora para receber todo mundo”, diverte-se.

A recepção foi tão positiva que os encontros continuam e sua comunidade online do Meet Up já tem quase 800 membros, entre desenvolvedores e gestores em busca de novos talentos.

A Udacity também foi uma parceira nesses encontros e participou de cinco edições. “Espero que o evento continue vivo e que os membros continuem frequentando e aprendendo juntos”, diz Gabriel.

Leia: Tecnologias de front-end: 6 maneiras de comparar Angular e React

O mercado para um desenvolvedor React

Mesmo com a alta demanda e o reconhecimento da importância do React para construir boas interfaces de usuário, Gabriel diz que ainda é difícil encontrar profissionais capacitados na área.

“Ainda não deu tempo de profissionais se qualificarem o suficiente para responder a toda essa demanda", avisa ele, que se impressiona com o número de propostas que recebeu desde que começou os estudos e os evidenciou em seu perfil no LinkedIn.

O fato de que ainda não entregou seu projeto final é, inclusive, relacionado ao sucesso profissional que o curso traz: o tempo do desenvolvedor está tomado por trabalhos como freelancer.

“É algo surreal – e que não esperamos quando contratamos um curso. O incremento em minha renda mensal com trabalhos extras foi muito significativo”, diz.

Para quem quer aproveitar esse nicho, Gabriel aconselha que faça o mesmo Nanodegree. "Além de muito atualizado, é focado na prática e no aprendizado guiado.”

Como se destacar como desenvolvedor profissional

Gabriel aproveitou para compartilhar conselhos profissionais para outros desenvolvedores que querem crescer na carreira.

Tenha um portfólio atualizado

É muito importante manter um portfólio sempre atualizado, que tenha projetos profissionais, paralelos, acadêmicos (como aqueles desenvolvidos durante o Nanodegree) e integrados a outras plataformas, como o GitHub.

Isso reflete a postura de um profissional ativo, sempre em busca de iniciativas e disposto a compartilhar informações.

Leia: Tutorial para iniciantes em Git e GitHub: faça seu primeiro commit

Mantenha seu LinkedIn atualizado

Por meio do LinkedIn e sinalizando que estava fazendo o curso da Udacity, Gabriel conta que recebeu inúmeras propostas e contatos de gestores de outras empresas. “Só então eu vi o quanto o desenvolvedor React é um profissional que está em falta no mercado. Tive que recusar propostas”, diz.

Esteja atento ao mercado

“O curso por si só não faz milagres. Principalmente na área de tecnologia, é preciso estar sempre estudando e buscando o máximo de conhecimento possível. Essa é uma das máximas que aprendi com a Udacity”, comenta.

Compartilhe informações e conhecimento

Segundo Gabriel, mostrar participação ativa em plataformas como o LinkedIn e eventos ligados ao mercado de desenvolvimento, como meet ups, é uma forma de demonstrar interesse pela área e ganhar credibilidade como profissional.

Ele acrescenta que essa troca de informações demonstra não só know how, mas também a habilidade de comunicação e convivência — algo muito valorizado por gestores e recrutadores.

Leia também:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.