25 de mai de 2018

5 tecnologias que 'O Guia do Mochileiro das Galáxias' previu (ou quase)

Udacity Brasil

Foi nas ondas de rádio, em 1978, que o público conheceu o maior sucesso do escritor Douglas Adams. Sua ficção científica O Guia do Mochileiro das Galáxias fez tanto sucesso que ganhou versões em livros – traduzidos em mais de 30 idiomas –, filmes, quadrinhos e peças.

Para comemorar esse universo, 25 de maio marca o Dia da Toalha, item essencial para um mochileiro das galáxias que se preza. No Brasil, a edição de 2018 tem eventos planejados em Brasília, Recife e São Paulo.

Quarenta anos depois da primeira transmissão, há algumas tecnologias futuristas de Adams que, de uma forma ou outra, encontraram seu caminho para o mundo real. Conheça 5 delas abaixo:

Ebooks

O livro que dá nome à saga, O Guia do Mochileiro das Galáxias, era ele mesmo um ebook – quase 30 anos antes do primeiro Kindle! O guia é descrito como um "laptop pequeno, fino e flexível", com muitos botões e uma tela de cerca de 10 centímetros com os dizeres "Não entre em pânico!". Além disso, o conteúdo do guia em si é composto por numerosas entradas feitas por usuários, que são constantemente atualizadas pela comunidade – assim como a Wikipedia.

Assistentes de voz

Comandos de voz são onipresentes ao longo da história, principalmente para conversar com Eddie, o computador de bordo da espaçonave Coração de Ouro. Entre Siris, Alexas e Cortanas, não há ainda um assistente de voz tão alegre (ou inconveniente) quanto este.

Touchscreen

Descrita por Adams como algo em que você só precisava "passar os dedos" para fazer funcionar, a tela sensível ao toque era a coisa mais futurista do mundo nos anos 1970. Hoje, se o touchscreen do seu celular dá algum problema por um minuto, você já perde paciência.

Pilot, o Peixe de Babel

Quando Arthur Dent não consegue entender o que alienígenas estão falando, seu amigo Ford Prefect força um peixe (o peixe de babel) em sua orelha. De repente, tudo faz sentido.

Claro que, em tempos de tradução automática, já existe uma startup tentando tornar algo parecido realidade: o sistema Pilot, composto por fones de ouvido e um app, custará 249 dólares e está atualmente em pré-venda. Em sua primeira versão, terá cinco idiomas: inglês, francês, italiano, português e espanhol.

Tecnologia para compreender golfinhos

Uma das cenas mais icônicas da saga vem cedo: é a música "Até mais, e Obrigado pelos Peixes!", em que os golfinhos se despedem da Terra e dos seres humanos que interpretaram seus sinais sobre a destruição que se aproximava como meras acrobacias.

Considerada uma das espécies mais inteligentes do planeta, ela tem tido seus meios de comunicação estudados em profundidade há trinta anos pela cientista Denise Herzing. Em uma TED Talk, Herzing explica seus achados e o ponto em que a pesquisa sobre uma linguagem dos golfinhos se encontra – e é surpreendente.

Bônus: a homenagem da SpaceX

Ávido leitor da saga na adolescência, Elon Musk nunca escondeu que era um grande fã: já disse, por exemplo, que deseja que a primeira espaçonave tripulada rumo a Marte se chame Coração de Ouro.

Em fevereiro de 2018, a equipe da SpaceX foi além em sua homenagem a Adams e aproveitou o primeiro teste do foguete Falcon Heavy para colocar um manequim em órbita a bordo de um Tesla vermelho. No painel do carro, os dizeres "Don't Panic" – um lembrete importante para este mochileiro em sua primeira viagem espacial.

Leia também:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.