24 de jul de 2018

Como um desenvolvedor React se prepara para uma entrevista de emprego?

Udacity Brasil

Nicholas Eduardo, engenheiro de produto da Dooile e editor do React Brasil, já ajudou outros desenvolvedores e empresas a se conectarem e sabe o que um processo seletivo de programação geralmente envolve.

De acordo com ele, há um padrão de contratação em curso: as empresas avaliam primeiro o currículo ou o GitHub do candidato – lembre-se de apagar projetos que são apenas testes e colaborar em projetos open source sempre que possível – e, em caso de aprovação, o convidam para uma entrevista.

Para saber como melhorar seu currículo de desenvolvedor web, clique aqui

Até aí, nada muito diferente de um processo seletivo comum. O que pode acontecer em seguida (e deixa muita gente ansiosa) é o teste prático. “[As companhias] geralmente pedem por serem muitos os candidatos. Elas precisam filtrar a demanda”, fala Nicholas.

O objetivo do teste é medir o esforço e o conhecimento que o candidato tem, além de pontos que são importantes no dia a dia de trabalho, como legibilidade do código, resolução de problemas e DRY, que significa Don’t Repeat Yourself (não se repita), e as particularidades de cada vaga. “Trata-se de não ter código repetido em diversos pontos da aplicação”, resume. Conhecer React Native, a versão mobile de React, também costuma adicionar pontos extras.

A boa notícia é que é possível se preparar. Quando se trata de React, questões comuns passam pelos seguintes temas: estrutura do projeto, testes (ele indica o framework Jest), builds (e o webpack contém as boas práticas) e gerar documentação visual para componentes (Storybook, StyleGuide e Docz são boas opções para tanto).

Tecnicamente, hoje se destacam mais os candidatos familiarizados com as novas versões do JavaScript (“principalmente EcmaScript 6, 7 e 8”) e os conhecimentos essenciais de front-end: CSS e HTML.

Para baixar um checklist com as habilidades necessárias para um desenvolvedor front-end, clique aqui

Para afiar habilidades e abandonar o nervosismo, Nicholas sugere praticar através da criação de sistemas básicos, como uma lista de comentários com caixas de texto que aceitam input, um chat para trocar mensagens em tempo real, apps em React Native e progressive web apps.

E para quem quer treinar com dados reais, há empresas que disponibilizam seus desafios online, como a Entria Jobs e a Pipefy. O site Toptal também disponibiliza questões comuns sobre React, como as seguintes:

  • Explique o que é o DOM virtual
  • O que são componentes funcionais puros?
  • Compare e contraste os vários métodos de ciclo de vida de um componente React. Como compreendê-los pode ajudá-lo a construir certas interfaces/características?

Em suma, trata-se do seguinte: uma boa preparação diminui o nervosismo e melhora sua performance. “A ideia central é o constante aprendizado ou reforçar o que já se sabe para se sentir bem na hora da entrevista”, aconselha.

Soft skills em alta

E para quem se prepara para o mercado, seja de React ou de qualquer outra especialidade, há mais um ponto de atenção: o destaque crescente para uma boa apresentação pessoal e storytelling, visto que comunicação e outras soft skills são cada vez mais importantes na área de tecnologia.

“Ser introvertido é um ponto negativo para o próprio desenvolvedor porque as empresas buscam pessoas que falam de problemas e soluções no dia a dia”, fala Nicholas. "Pessoas comunicativas estão ganhando espaço no mercado, mesmo que não tenham tanta experiência técnica.”

Descubra 6 habilidades em alta no mercado de trabalho

A demanda por desenvolvedores React

Nicholas explica que a demanda por React ganhou força no mercado depois da chegada do Angular 2, que trouxe mudanças em seu código-base e fez com que muitas organizações e programadores se voltassem para a popular biblioteca de JavaScript.

“O que mais surpreende é a organização que o código de React mantém ao longo da construção do projeto, além da comunidade que se espalha por todos os canais de comunicação, como Facebook, Slack e GitHub”, comenta Nicholas.

Essa facilidade fez com que o React se tornasse uma das tecnologias mais amadas pelos desenvolvedores. Segundo a pesquisa de 2018 do Stack Overflow, é a terceira tecnologia mais querida por desenvolvedores profissionais, entre frameworks, bibliotecas e ferramentas.

Segundo Nicholas, essa popularidade já tem um efeito prático: há um crescimento no número de vagas em São Paulo, Santa Catarina – e muitos outros lugares com acesso à internet. “Muitas empresas estão com vagas remotas. Ou seja, quem não pode estar presencialmente tem a possibilidade de trabalhar de casa”, continua.

Ele conclui com uma dica importante: no repositório do React Brasil, há mais de 60 oportunidades disponíveis. Estude com o nosso curso de React e candidate-se!

Leia também:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.