Conheça as linguagens de programação mais usadas no Brasil e no mundo

Udacity Brasil
10 de abr de 2018

Neste artigo, você vai aprender sobre diversos aspectos de linguagens de programação: o que são, as diferenças entre baixo nível e alto nível, quais são as linguagens mais usadas no mundo hoje e por quê, onde estão os principais rankings de popularidade e como escolher a melhor linguagem para seus objetivos.

Por que aprender programação?

Em um mundo tão globalizado, conectado e competitivo, quanto mais conhecimento um profissional possuir, maiores serão suas chances de sucesso no mercado de trabalho.

Atualmente, praticamente todos os segmentos utilizam computadores no cotidiano, que todos os dias automatizam e tornam mais eficientes um número maior de tarefas até então feitas de forma manual e burocrática.

Quem nunca teve sua vida facilitada pelo uso de ferramentas computacionais simples, como planilhas de Microsoft Excel ou Google Spreadsheets? Ou softwares de criação de texto como Microsoft Word, Google Docs ou mesmo um Bloco de Notas?

O mundo mudou, e muda diariamente, para melhor. Com isso em mente, uma consequência natural é a necessidade constante de se atualizar para se destacar no mercado.

Hoje em dia, dominar ferramentas como as citadas acima não faz com que um profissional se destaque, apenas se nivele. É o que torna aprender uma habilidade como programação tão importante.

Este é o tema deste artigo, voltado para quem quer ingressar nesse universo. Trata-se de um apanhado geral sobre o que são e quais são as linguagens de programação mais usadas no Brasil e no mundo.

Há uma comparação prática que pode ser feita para quem pensa no futuro da própria carreira. Nos anos 1990, saber inglês era um grande destaque profissional. Hoje, é algo trivial e muitas vezes um requisito.

Leia: Por que todo profissional deve aprender programação?

Na era de smartphones e redes sociais, em que é preciso estar mais atualizado do que nunca, é preciso também saber como pensar – e a lógica da programação pode ajudar com isso.

O profissional que as empresas buscam não é necessariamente um programador ou um especialista em tecnologia, mas alguém que sabe se adaptar às mudanças e quer aprender coisas novas, mesmo que sejam desafiadoras.

Existe uma frase famosa de Steve Jobs que explica esse pensamento: "Todos neste país [nos EUA] deveriam aprender a programar um computador, pois isto te ensina a pensar".

Outros grandes nomes da tecnologia, como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Drew Houston, ressaltaram a importância dessa mensagem em fevereiro de 2013 em um especial para a organização Code.org. "É intimidante no começo, mas você se acostuma com o tempo", disse Drew.

Para empolgar programadores iniciantes, eles também aceitaram também gravar pequenos vídeos (com legendas em português) em que explicam conceitos básicos, como as instruções if e loops de repetição.

E no fim daquele mesmo ano, o então presidente dos EUA Barack Obama fez um pronunciamento em que explicava a importância de aprender computação para seus conterrâneos.

"Aprender essas habilidades não é só importante para seu futuro, mas para o futuro do país", disse. "A tecnologia vai mudar o jeito que fazemos praticamente tudo. Não só brinque com seu telefone. Programe-o. Ninguém nasce sendo cientista de computação, mas com um pouco de trabalho duro e alguma matemática e ciência, todos podem se tornar um."

Em 2018, é fácil enxergar que o que faz com que um profissional se destaque na multidão é justamente esse conhecimento tão versátil. Neste momento, termos como desenvolvimento mobile, data science e machine learning estão em voga. Em uma ou duas décadas, podem bem ser outros, mas a estrutura por trás deles muito provavelmente será similar.

O que é linguagem de programação

De forma técnica, é possível dizer que uma linguagem de programação é um método padronizado para comunicar instruções para um computador.

Trata-se de um conjunto de regras sintáticas e semânticas usadas para definir um programa de computador, o que permite que um programador especifique sobre quais dados um computador vai atuar, como estes dados serão armazenados ou transmitidos e quais ações devem ser tomadas sob várias circunstâncias.

O conjunto de palavras compostos de acordo com essas regras constitui o código-fonte, ou programa, de um software. Esse código-fonte é depois traduzido para código de máquina (uma linguagem binária), que é então executado pelo processador.

Acima, instrutor da Udacity explica o que é linguagem de programação e como ela funciona

De forma simplificada, pode-se imaginar o computador como uma super calculadora, capaz de fazer bilhões de cálculos por segundo. Porém, sem instruções que ele compreenda, um computador nada fará.

Sendo assim, é preciso dizer ao computador o que deve ser calculado e como deve esse cálculo deve ser feito. Esta é a função das linguagens de programação: servir como um meio de comunicação entre computadores e humanos.

Como funciona o sistema binário

Computadores entendem apenas binário, ou seja, a linguagem de 0s e 1s, conhecida como sistema binário. Todas as instruções que são dadas são traduzidas em sinais elétricos que significam, basicamente, ligado (1) e desligado (0).

Pense em uma pequena lâmpada. Quando ela está ligada, indica 1. Quando desligada, indica 0. Isso é binário. E há uma infinita quantidade de combinações que você pode fazer com esse sistema.

Agora pense em você e sua máquina. Você fala português, mas a sua máquina fala apenas binário. Entre você e a máquina existe o compilador, que age como um intérprete, mas este só sabe binário e uma outra linguagem de programação, como Java.

Aprender a "falar" Java é muito mais fácil do que aprender a "falar" binário, pois Java possui muitas palavras em comum com o inglês e você pode escrever instruções que você entende, como "print" ou "read", ao invés de 0010 100 0101 0101, por exemplo.

Assim, quando você quer se comunicar com a sua máquina e criar uma série de instruções para ela, escreve em Java para o compilador e este traduz as instruções para a máquina em binário – o que é linguagem de programação na prática.

Tipos de linguagens de programação

Existem basicamente dois tipos de linguagens de programação: as linguagens de baixo nível e as linguagens de alto nível. Abaixo, você aprende um pouco mais sobre cada uma.

Linguagens de baixo nível

Os computadores interpretam qualquer informação na forma de números binários. As linguagens de baixo nível são interpretadas diretamente por eles, tornando o resultado bastante veloz. O lado negativo já foi apresentado: é muito complicado trabalhar diretamente com elas.

Há alguns exemplos de linguagens de baixo nível, como a própria linguagem binária (ou linguagem de máquina), e a linguagem assembly.

A linguagem de máquina é uma formada por sequências de números que definem a realização das operações em um computador. Há uma tarefa por linha, e elas são realizadas de cada vez. Qualquer computador entende diretamente sua própria linguagem de máquina.

Outro tipo de linguagem de baixo nível é a linguagem assembly (do inglês "montar"), também conhecida como asm. Essa linguagem consiste em abreviações de expressões em inglês de operações elementares. Os assemblers são programas tradutores que convertem os primeiros programas de linguagem assembly em linguagem de máquina.

Embora o código seja mais claro para seres humanos porque há alguma correspondência entre a linguagem e as instruções da máquina – o que não significa que são fáceis –, ele continua incompreensível para computadores até ser traduzido em linguagem de máquina.

Outro ponto importante da asm é que ela é específica para cada tipo de arquitetura computacional. Ou seja, cada sistema tem sua própria asm e não há portabilidade entre eles.

O termo "baixo nível" pode não ser dos mais felizes, mas não se deixe enganar: estas são ferramentas extremamente poderosas. A humilde Assembly, por exemplo, foi a linguagem usada para levar o ser humano à Lua em 1969.

Linguagens de alto nível

Já as linguagens de alto nível são mais fáceis de se trabalhar e entender, além de serem mais portáteis. Entre as linguagens de programação desse tipo estão C, C++, .NET e Java.

Em sua maioria, os comandos são representados em inglês (Do, Print, If, Else, etc), facilitando a memorização e a lógica de programação.

Veja abaixo um exemplo de comando em linguagem de alto nível:

folhaPagamento = basePagamento + tempoTrabalho

Cada um desses termos foi explicado, em termos que um computador pode entender, dentro do próprio código. Como a interpretação direta não faz sentido para a máquina, ainda é necessário traduzi-las para linguagem binária através de um compilador.

Como funcionam linguagens de alto nível

Quando se programa em uma linguagem de programação de alto nível, é preciso primeiro criar um arquivo de texto que contém a lógica do programa.

Como já explicado acima, este arquivo de texto é chamado de código-fonte e cada palavra de ordem dentro do código-fonte é chamada de instrução ou comando. Após o código-fonte, é preciso traduzir este arquivo para linguagem binária usando o compilador correspondente com a linguagem em questão.

O compilador irá gerar um segundo arquivo, chamado de executável. Este arquivo gerado é interpretado diretamente pelo computador.

Exemplos de linguagem de programação de alto nível

Linguagem Fortran

O Fortran (FORmula TRANslator) foi uma linguagem desenvolvida pela IBM em meados da década de 1950 para ser utilizada em aplicativos científicos de engenharia que exigiam complexos cálculos matemáticos.

Linguagem COBOL

O COBOL (Common Business Oriented Language) foi desenvolvido no final da década de 1950 por fabricantes e usuários de computadores do governo norte-americano e da indústria, incluindo a contra-almirante Grace Hopper, para popularizar a programação. O COBOL ainda é utilizado para aplicativos comerciais que exigem manipulação precisa e eficiente de grandes quantidades de dados.

Linguagem Pascal

Em meados na década de 1960, uma pesquisa levou à evolução da programação estruturada e seus resultados informaram uma nova abordagem, pensada para deixar programas mais claros e fáceis de testar, modificar e depurar. Um dos resultados mais concretos foi a criação linguagem de programação Pascal pelo Professor Niklaus Wirth, em 1971.

Linguagem Ada

A linguagem Ada foi desenvolvida com patrocínio do Departamento de Defesa dos EUA durante a década de 1970. Seu nome é uma homenagem à Lady Ada Lovelace, considerada a primeira pessoa a escrever um algoritmo no mundo. Ainda no início do século XIX, ela escreveu instruções para o dispositivo mecânico conhecido como Máquina Analítica, projetado por Charles Babage, considerado pai da computação.

Zoe Phillpott fala sobre a história de Ada Lovelace, criadora do primeiro algoritmo do mundo

Quais são as linguagens de programação mais usadas

A natureza inovadora e flexível deste universo faz com que, a cada mês, surjam inovações no mundo das linguagens de programação. Ser um desenvolvedor de software ou programador de computador exige estar ciente da necessidade de estar sempre atualizado quanto às mudanças de tecnologias no mercado de trabalho.

Oito anos atrás, por exemplo, as linguagens mobile eram praticamente desconhecidas no mercado de trabalho. Hoje em dia, linguagens como Swift (para sistema iOS) e Kotlin (para Android) estão em alta.

Na década passada, PHP era a linguagem mais usada em desenvolvimento web. Hoje em dia, Node.js e Ruby on Rails são as mais populares neste tipo de desenvolvimento.

Esse dinamismo torna a criação de programas para computador cada vez mais interessante – e mais fácil. Com vastas e crescentes documentações e comunidades disponíveis gratuitamente online, é possível tirar qualquer tipo de dúvida, inovar e pedir conselhos de colegas ao redor do globo e incentivar o autodidatismo.

Há sites como Stack Overflow, o maior fórum de linguagens de programação do mundo, comunidades como o Google Developers e inúmeras opções no YouTube.

Estas são ferramentas extremamente úteis para quem quer aprimorar suas técnicas de desenvolvimento, entender quais são as linguagens de programação mais usadas e estar atualizado com o que há de mais novo neste universo.

Principais rankings de linguagens de programação

O maior e mais completo ranking sobre linguagens de programação que existe é o levantamento anual do Stack Overflow: são cerca de 40 perguntas para mais de 100 mil desenvolvedores do mundo inteiro.

Todos os meses, cerca de 50 milhões de pessoas visitam o site para aprender, compartilhar conhecimentos e construir suas carreiras. Estima-se que cerca de 21 milhões sejam desenvolvedores profissionais (alguns com mais de três décadas de experiência) e estudantes de nível universitário.

Estes desenvolvedores são categorizados em diversos tipos, o que dá uma boa ideia da vastidão de oportunidades profissionais existentes:

Trata-se de um recurso muito interessante tanto para curiosos quanto para profissionais: há informações de mercado, educação e distribuição geográfica, entre muitas outras informações

Outra excelente fonte de pesquisa é o HackerRank, o mais famoso site de desafios de algoritmos que existe. É comum que a empresa organize competições de quebra-cabeças e problemas matemáticos nas mais diversas linguagens de programação.

Top 25 linguagens de programação, scripting e markup mais usadas em 2018, segundo o Stack Overflow

De acordo com o Stack Overflow, as 25 linguagens mais usadas no mundo atualmente são:

  1. JavaScript
  • HTML
  • CSS
  • SQL
  • Java
  • Bash/Shell
  • Python
  • C#
  • PHP
  • C++
  • C
  • TypeScript
  • Ruby
  • Swift
  • Assembly
  • Go
  • Objective-C
  • VB.NET
  • R
  • Matlab
  • VBA
  • Kotlin
  • Scala
  • Groovy
  • Perl

Top 17 linguagens de programação mais usadas em 2018, segundo o HackerRank

  1. JavaScript
  • Java
  • Python
  • C++
  • C
  • C#
  • PHP
  • Ruby
  • Go
  • Swift
  • Scala
  • R
  • Perl
  • Haskell
  • Clojure
  • Pascal
  • Lua

Top 10 linguagens de programação mais usadas, segundo o IEEE

Há também organizações institucionais envolvidas no mundo da programação, como o Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), a maior organização profissional do mundo dedicada à engenharia e às ciências aplicadas, com mais de 400 mil membros.

Segundo seus dados, estas foram as 10 linguagens de programação mais usadas de 2010:

  1. Python
  • C
  • Java
  • C++
  • C#
  • R
  • JavaScript
  • PHP
  • Go
  • Swift

Leia: As linguagens de programação mais populares do momento, por indústria

Afinal, qual é a melhor linguagem de programação para cada objetivo?

Escolher a melhor linguagem para cada objetivo é sempre algo muito subjetivo, assim como escolher a melhor banda, o melhor time, o melhor filme e assim por diante. Ainda assim, existem maneiras de deduzir qual é a linguagem de programação mais útil para cada objetivo.

Mas qual linguagem de programação aprender primeiro? Primeiro, é preciso definir aquele objetivo principal para guiar sua busca entre as milhares de opções que existem no mundo.

Um jeito prático de fazer isso é dividi-las em categorias. De maneira bem simplista, é possível fazer isso da seguinte maneira:

Linguagens web

Atualmente, as melhores linguagens web continuam sendo as mesmas dos anos 1990. HTML, CSS, JavaScript e PHP continuam fundamentais para o desenvolvimento web. A linguagem .Net (advinda de C#) também é amplamente usada.

Sua popularidade segue firme porque websites em si são gerados através da combinação destas linguagens, mesmo quando há outros nomes na lista.

Tecnologias de destaque como Node.js, por exemplo, nada mais são do que um conjunto de funções JavaScript. Ou pense em Ruby on Rails, que facilita o desenvolvimento de aplicações web mas que, por baixo dos panos, gera código-fonte nas linguagens descritas acima.

O que não significa que não são úteis, pelo contrário. As inovações acontecem para que o trabalho do desenvolvedor ganhe em agilidade, performance e usabilidade – mas é sempre bom entender a estrutura por trás de uma aplicação.

Linguagens mobile

Quando se trata de linguagens de programação mais usadas para dispositivos móveis, há Objective-C (mais clássica) e Swift (mais indicada) para sistemas iOS.

Já Java é a linguagem oficial de sistemas Android e a Kotlin, a mais fácil e mais moderna para os mesmos.

Leia: Android x iOS: Entenda as principais diferenças com este infográfico

Demais linguagens

Como se vê, programação pode tanto ser útil quanto a base de diversas indústrias e setores. Muitas acabaram surgindo ou se aprimorando para facilitar o trabalho específico em um ou outro campo, como data science ou machine learning.

No meio da estatística e data science – um campo interdisciplinar em alta no mercado que extrair conhecimentos e insights de dados –, por exemplo, podemos destacar a linguagem R, soberana neste segmento, e Python, famosa por ser mais didática.

Leia: Aprender Python ou R? Saiba o que levar em conta

Em sistemas embarcados, C segue reinando desde os anos 1970. Aliás, todos os sistemas operacionais de praxe como Windows, Mac e Linux são implementados nessa linguagem, que é difícil de aprender por ser de mais baixo nível mas tem o grande benefício de ser centenas de vezes mais rápida.

De tão útil, essa mesma C originou a linguagem C++ (que tem o paradigma de orientação a objetos) e a linguagem C# (pertencente à empresa Microsoft e ainda mais simples de se usar do que C++).

Também é possível destacar linguagens como Prolog (voltada para programação lógica e útil para desenvolvimento de inteligência artificial) e Assembly (linguagem de extremo baixo nível e imbatível no quesito desempenho).

Leia: Aprender Python ou R? Saiba o que levar em conta

Como aprender linguagens de programação

Falar sobre linguagens de programação é falar sobre algo que está em constante evolução. Nunca será possível afirmar que sabe-se "tudo" sobre elas devido ao dinamismo inerente: existem milhões de programadores e desenvolvedores pelo mundo que, diariamente, criam algo novo.

O que segue fundamental é lembrar que há uma estrutura por trás de todas essas capacidades, ou seja, há lógica por trás das linguagens de programação – e isso faz toda a diferença, tanto na hora do aprendizado quanto do trabalho.

Leia: 5 jogos de programação para você treinar suas habilidades

Ao aprender um pouco mais sobre o que elas são, como se classificam e quais estão em alta, você fortaleceu seus conhecimentos gerais sobre este universo vasto.

E se estiver pronto para colocar as mãos na massa, pode optar pelos inúmeros cursos de programação que existem hoje, online ou offline. Veja algumas opções abaixo:

Cursos de programação online

Se você pretende fazer um curso de programação online, o caminho ideal é conhecer a fundo as opções disponíveis (há muitas gratuitas!) para entender qual combina melhor com seu nível, ritmo e tempo disponível.

Cursos de programação online com certificado

Nanodegree Introdução à Programação – Udacity

Neste curso online de 5 meses, você aprende fundamentos de programação web, mobile e data science de maneira estruturada e com foco em projetos práticos. Não é necessário ter nenhum conhecimento prévio. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria – e conhecimentos sobre HTML, CSS e Python, entre outros.

Nanodegree Fundamentos de Data Science I – Udacity

Neste curso online de 2 meses, que não exige experiência prévia, aprenda conceitos básicos de programação em Python e de análise de dados, incluindo uso de biblioteca Pands e NumPy. Pratique seus conhecimentos com projetos que utilizam bases de dados reais e extraia insights. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Fundamentos de Data Science II – Udacity

Neste curso online de 4 meses, que tem nível intermediário e exige conhecimentos de programação em Python e bibliotecas de dados, aprenda como utilizar SQL e analisar bancos de dados, reunir dados de diversas fontes, testar e validar hipóteses. Além disso, aprenda conceitos iniciais de machine learning e modelos preditivos. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Android Basics - Udacity

Neste curso online de 5 meses para iniciantes, que não exige experiência prévia com programação, você aprende programação orientada a objetos, como criar interfaces de usuário, telas interativas e apps multi-telas. Para firmar seu conhecimento, fará uma série de projetos práticos. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria – e pelo Google, parceiro de conteúdo deste Nanodegree.

Nanodegree Desenvolvedor Android – Udacity

Neste curso online de 7 meses e nível intermediário (é preciso saber como usar Java, Git e GitHub), aprenda as habilidades e conhecimentos para ser um desenvolvedor Android profissional. Aprenda a conectar seu app com dados online, fazer requisições a um API, integrar bibliotecas e outras ferramentas e publicar seu app na Google Play Store. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria – e pelo Google, parceiro de conteúdo deste Nanodegree.

Nanodegree Desenvolvedor iOS – Udacity

Com conteúdo desenvolvido por AT&T, Lyft e Google, este curso online de 6 meses ensina a construir aplicativos para iPhone e iPad que sejam completas, interativas, escaláveis e de alta performance. Além disso, oferece aulas sobre a linguagem Swift para iniciantes. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Desenvolvedor React – Udacity

Este curso online exige conhecimentos de HTML, JavaScript e Git. Ao longo de 4 meses, prepara alunos para que se tornem desenvolvedores React e React Native profissionais, capacitando-os em uma das tecnologias de front-end mais populares do momento. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Fundamentos Web Front-End – Udacity

Com este curso online de 2 meses voltado para iniciantes (é preciso ter noções básicas de programação), você aprende a construir interfaces web interativas e conceitos essenciais para começar sua carreira na área. Aprenda fundamentos de web, como HTML e CSS, e de JavaScript. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Web Front-End Avançado – Udacity

Neste curso online de 4 meses, com conteúdo desenvolvido por Google e GitHub, aprenda a usar frameworks, bibliotecas e APIs para construir interfaces de usuário cada vez mais sofisticadas. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Desenvolvedor Web Full-Stack – Udacity

Neste curso online de 6 meses, que exige conhecimentos prévios de HTML, CSS, JavaScript, Python e Git, você aprende as habilidades necessárias para construir e manter aplicações web complexas e eficientes. O conteúdo foi desenvolvido em parceria com AWS, GitHub, AT&T e Google. Aprenda quais são as ferramentas essenciais de desenvolvedores e como trabalhar com backend. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria. Ao final, você obtém um certificado reconhecido pela indústria.

Nanodegree Fundamentos de Machine Learning – Udacity

Neste curso online de 3 meses voltado para iniciantes (não é preciso ter experiência prévia), você aprende os principais conceitos por trás de machine learning. Usando Python, estatística e visualização de dados, conseguirá construir seus primeiros algoritmos e modelos preditivos.

Cursos de programação online sem certificado

JavaScript Orientado a Objetos – Udacity

Este curso online gratuito de 5 semanas é voltado para intermediários e ensina conceitos essenciais de programação orientada a objetos, como utilizar bibliotecas de JavaScript e quais são os principais recursos de programação para tornar o desenvolvimento mais fluido. Inclui videoaulas, testes interativos e comunidade de apoio.

Fundamentos da Programação com Python – Udacity

Este curso online gratuito de 6 semanas é voltado para iniciantes e apresenta conceitos essenciais de Python e como reutilizar e compartilhar códigos nessa linguagem. Inclui videoaulas, miniprojetos, testes interativos e comunidade de apoio.

Introdução à Ciência da Computação – Udacity

Este curso online gratuito de três meses voltado para iniciantes é uma introdução à programação em geral. Você aprenderá e praticará conceitos-chave, construirá suas próprias versões de aplicações web populares – como um motor de busca e uma rede social – e escreverá linhas de código em Python. Inclui videoaulas, testes interativos e comunidade de apoio.

Introdução à JavaScript – Udacity

Este curso online gratuito de 2 semanas ensina os fundamentos de JavaScript, uma das principais linguagens de programação do mundo. Aprenda tipos de dados e variáveis, condicionais, loops, funções e arrays. Inclui videoaulas, testes interativos e comunidade de apoio.

Khan Academy

A versão brasileira da Khan Academy traz um leque diversos de possibilidades gratuitas para quem quer aprender computação, entre eles mais de 400 aulas sobre programação que vão da introdução a JavaScript a módulos sobre como usar SQL para armazenar, consultar e manipular dados.

Code.org

Engenheiros de empresas como Google, Microsoft, Facebook e Twitter ajudaram a criar os materiais da organização Code.org, que oferece uma variedade de cursos gratuitos de 20 horas para auxiliar qualquer um, de crianças de 4 anos a adultos, a começar a programar. Há diversas opções em português.

Cursos de programação presenciais

MasterTech

A MasterTech é uma escola presencial que oferece cursos de negócios, marketing, design e tecnologia. Entre as opções tecnológicas estão imersivos de front-end ou back-end, machine learning e intensivos de programação básica. Em parceria com a Estação Hack do Facebook, também oferece cursos gratuitos sobre programação.

Reprograma

Com foco em mulheres, o Reprograma trabalha em parceria com a Estação Hack, do Facebook, para capacitar mulheres em programação front-end e conhecimentos básicos de empreendedorismo.

Let's Code

A Let's Code oferece cursos tanto para crianças quanto para adultos. Entre as opções estão Python, Java, Android, iOS, web services e novidades tecnológicas atualmente em alta, como blockchain.