4 de jan de 2018

Por que todo profissional deve aprender programação?

Udacity Brasil

O mercado de trabalho está em constante evolução. Há algumas décadas, ter uma boa formação em uma faculdade era, praticamente, uma garantia de emprego para a vida toda. Passado alguns anos, isso já não era mais suficiente — para um profissional se destacar, além do diploma, ele precisava dominar uma língua estrangeira, principalmente o inglês. Mas isso também mudou.

A competitividade hoje é maior do que nunca: além dessas habilidades, as empresas exigem um profissional dinâmico, flexível, com um bom raciocínio lógico, capaz de analisar e resolver problemas rapidamente — e que esteja sempre um passo à frente. Isso tudo, é claro, sempre vinculado ao mundo digital.

Mas como conseguir todas estas características e ainda se manter antenado às mudanças tecnológicas? A resposta está na programação.

A programação no século XXI

Hoje estamos vivendo a quarta revolução industrial. Os robôs, os algoritmos de inteligência artificial e todos os tipos de mídias digitais tomaram conta do nosso mundo.

Não somente as pessoas dependem da tecnologia, mas também o mercado. Qualquer empreendedor consegue fazer uso dela para favorecer o seu negócio e torná-lo mais competitivo — independentemente do setor de atuação ou do tamanho da empresa.

O pequeno empresário pode criar um site ou um aplicativo para seu negócio; o médico pode usar sistemas para marcar consultas e enviar lembretes aos pacientes; o engenheiro consegue desenhar e realizar simulações de seus projetos no computador; a cientista é capaz de utilizar máquinas para realizar cálculos e processamentos; as grandes empresas utilizam softwares de análise e visualização de dados para ajudar na tomada de decisões.

E é baseado nessa realidade que, há alguns, anos iniciou-se uma discussão sobre a importância de se atualizar o tradicional modelo de ensino das instituições, com o intuito de conseguir aproximar o mundo da tecnologia e o mundo acadêmico.

O ex-presidente Barack Obama já defendia a inclusão da programação no ensino básico em seus discursos. Tanto que, em 2016, ele lançou o programa Computer Science for All — ciência da Computação para Todos. E ele não está sozinho! No primeiro trimestre de 2017, a Suécia aprovou um projeto para ensinar programação no que seria correspondente ao nosso segundo ano do ensino fundamental. Além disso, grandes empresas do ramo defendem a mesma ideologia.

Motivos para aprender programação

Com base em especialistas e nas opiniões dos grandes líderes do mercado, separamos os cinco principais motivos que justificam porque aprender programação é uma excelente ideia para quem deseja alavancar a carreira. Confira!

1. Dedicação e autodidatismo

Muita gente acredita que programação é algo muito complexo e difícil de aprender — e isso não é necessariamente verdade. Tudo depende do contexto.

Programar o lançamento de um foguete, por exemplo, exige muito conhecimento e anos de exercício na função, mas criar um site, uma loja online, um pequeno sistema ou mesmo um aplicativo não é. Hoje há cursos, livros, jogos de programação, ferramentas e bibliotecas que podem facilitar — e muito — essa tarefa e sua aprendizagem.

Assim como em qualquer outra atividade, a programação não exige nada além de prática e dedicação.

2. Resolução de problemas

Um dos grandes desafios a serem superados quanto ao modelo de ensino tradicional da maioria das escolas e universidades é que os alunos são induzidos a decorar os conteúdos, em vez de explorar os problemas e tentar encontrar soluções.

Isso prejudica o aprendizado, pois inibe a capacidade de raciocínio. E um dos aspectos mais importantes da programação é exatamente a resolução de problemas. Usar a programação como ferramenta para encontrar respostas e soluções para os desafios acrescenta muito na capacidade de raciocínio lógico — e essa característica é essencial em qualquer profissional.

3. Visão de futuro

Hoje, muitos produtos e serviços dependem da tecnologia e a tendência é que tudo se torne ainda mais conectado, principalmente com a popularização de chips programáveis e do conceito de internet das coisas (IoT). As casas, os carros, os eletrodomésticos — e até mesmo as tecnologias vestíveis, também chamadas de wearables, como relógios, pulseiras e óculos — estarão conectados à internet.

Logo, saber programação significa entender como tudo isso funciona. Esse conhecimento não só vai expandir a sua visão de futuro, como também vai torná-lo capaz de trabalhar melhor em meio a tanta inovação.

4. Senso crítico e criatividade

Atualmente, os profissionais — e toda a nova geração de crianças e adolescentes — já estão inseridos no mundo digital. Não é difícil encontrar até mesmo bebês brincando e aprendendo com tablets, celulares e computadores.

De acordo com Mitchel Resnick, do MIT Media Lab, ao aprender como todos esses aparelhos e tecnologias funcionam, ganhamos maior senso crítico, liberdade e criatividade. Isso porque, em vez de se conformar com as aplicações prontas, podemos criá-las para atender às nossas necessidades.

5. Mercado de trabalho

Além do aumento constante de vagas para profissionais da área — como programadores, analistas e cientistas de dados —, todas as habilidades que estão embutidas no aprendizado de programação são exigidas pelas empresas na hora de contratar um profissional, independentemente da sua área de atuação. E, nessa lista, estão competências como:

  • velocidade de aprendizado;
  • estímulo à língua inglesa;
  • clareza, rapidez e fluidez nos pensamentos;
  • raciocínio lógico;
  • trabalho em equipe;
  • organização;
  • alta produtividade.

Aprender programação, portanto, estimula e aprimora todos esses pontos.

Inovações e mudanças

Hoje, a tecnologia está cada vez mais acessível e presente na vida das pessoas — e nenhuma empresa consegue crescer sem ela. A inovação continuará moldando os negócios do futuro, e os líderes e profissionais das empresas precisam se adaptar a essa realidade.

Além disso, a transformação digital não se dará apenas em empresas do ramo tecnológico, mas em todas as áreas — desde as companhias industriais e comerciais até aqueles empreendimentos prestadores de serviços, do microempreendedor às megacorporações.

Ao longo dos anos, os profissionais precisaram se adaptar às exigências do mercado de trabalho, e este ciclo continua. Portanto, cabe aos estudantes — de qualquer idade — e aos trabalhadores, de hoje e do futuro, terem as capacidades técnicas necessárias para lidar com os desafios do mundo digital. A programação, hoje, é novo "aprender inglês".

Então, para se manter atualizado e garantir seu futuro profissional, inscreva-se no programa Nanodegree Introdução à Programação da Udacity!





About the author
Udacity Brasil