21 de mai de 2018

6 razões para escolher programar em Python

Udacity Brasil

Quem atua na área de programação sabe da importância de escolher a linguagem mais adequada para seus projetos. E para realmente avançar, é preciso ter em vista alguns aspectos relacionados à produtividade, reaproveitamento de código, curva de aprendizado e versatilidade da ferramenta.

Nesse sentido, Python é uma linguagem que se apresenta como uma ótima escolha por diversos fatores, incluindo uma gama ampla de funções e bibliotecas que auxiliam bastante o programador, principalmente quem trabalha com data science e machine learning.

Lançada em 1991, a principal motivação por trás de sua criação foi a necessidade de ter uma linguagem que fosse ao mesmo tempo simples de usar e que não precisasse ser compilada.

O motivo por trás da simplicidade é sua tipagem dinâmica, o que basicamente significa que variáveis podem ser dados de qualquer tipo. Por conta disso, Python acaba sendo uma boa ferramenta de prototipagem: ainda que o projeto que você quer criar fique melhor em outra linguagem, pode usá-la para criar uma primeira versão ou demonstrar viabilidade.

Baixe o ebook gratuito: Guia completo para começar uma carreira em data science

Por que Python é uma boa escolha?

Abaixo, conheça 6 benefícios da utilização de Python em seus projetos:

1. Facilidade de uso

Uma das grandes vantagens da escolha de Python é a facilidade de aprendizado e de uso. Isso acontece por se tratar de uma linguagem extremamente simples, sem amarras, e que possui uma sintaxe muito parecida com o pseudocódigo, usado em lógica de programação.

Por ter sido concebida para ser fácil de programar – ao contrário de Java, por exemplo, não exige que se saiba conceitos complexos –, é usada nas principais universidades do mundo entre estudantes de programação.

A curva de aprendizagem é muito rápida e curta, o que motiva o estudo e facilita a adoção de Python por diversos programadores.

Acima, é possível assistir ao curso introdutório de Python da Udacity

2. Tudo incluso

Python tem a filosofia “batteries included” (pilhas inclusas), algo que diz respeito à característica de oferece um pacote completo, com todas as bibliotecas e arquivos necessários para o uso em diversas aplicações.

Dessa forma, não é necessário fazer download e instalação de pacotes adicionais, tão comuns na maioria das linguagens de programação.

Com a versão básica, o programador consegue realizar quase todas as tarefas de que necessita. Em termos práticos, isso representa a redução – ou mesmo a eliminação – da dependência de pacotes externos.

Ou seja, para utilizar Python, você só precisa de Python. Fim da história.

3. Comunidade de usuários

Quem trabalha com programação, em especial com código aberto, sabe quão importante é ter o suporte de uma boa comunidade de usuários.

Por ser uma das linguagens mais utilizadas no mundo — foi a mais popular em 2017 —, Python conta com uma comunidade fortíssima, inclusive no Brasil, em que é comum haver troca de informações, ajuda mútua e o surgimento de novidades.

4. Python é multiplataforma

Por serem feitos numa linguagem interpretada, códigos em Python podem ser executados em qualquer sistema e configuração que possua o respectivo interpretador. O mesmo programa pode ser utilizado em diferentes sistemas operacionais, por exemplo, o que representa versatilidade, reaproveitamento e, consequentemente, maior produtividade.

5. Código aberto

Python é fornecido sob uma licença denominada Python Software Foundation License, bastante similar à GPL (uma licença muito comum para softwares livres), exceto pela característica de que os binários da linguagem podem ser livremente distribuídos sem a necessidade de anexar o código fonte. Isso oferece benefícios óbvios, como independência dos desenvolvedores e maior nível de personalização e segurança.

6. Versatilidade e integração

Os especialistas costumam dizer que Python é uma “cola”, em alusão à facilidade de integrar códigos escritos em outras linguagens.

Como exemplo, imagine que você precisa de um determinado código para processar imagens. Por ser uma atividade que requer bastante processamento e agilidade, não é obrigatório que essa biblioteca seja escrita em Python.

Ela pode ser desenvolvida em uma linguagem mais rápida, compilada e, então, ser chamada pelo código Python. Em resumo, é possível aproveitar o melhor de cada linguagem e, quando necessário, integrar todo o pacote usando Python.

Leia: Como as empresas usam a análise preditiva na tomada de decisão?

Onde se usa Python

Alguns dos campos em que a linguagem é aplicada são em projetos de data science, machine learning e Big Data. Como há muita demanda por aplicações nessas áreas, a facilidade e a versatilidade de Python colocam-na em posição de destaque.

A presença do Python no campo de aplicações web também é bastante forte, já que a criação de servidores e páginas web ou APIs é algo relativamente simples.

Por fim, embora seja uma linguagem muito presente no meio acadêmico — com bibliotecas específicas para cálculos científicos, por exemplo —, o Python expandiu as fronteiras e é hoje, muito utilizada no mercado.

Empresas como Google, Spotify e NASA são apenas alguns em que Python exerce um papel importante para o sucesso dos negócios.

Vale a pena aprender Python?

Em função de todas estas características, fica claro que aprender a programar em Python e utilizar essa linguagem em seus projetos é uma ótima escolha.

Além de proporcionar benefícios de aumento de produtividade e versatilidade, Python possibilita que se atue em projetos dos mais diversos segmentos e mercados.

Embora seja uma linguagem de fácil aprendizado, a recomendação é que o estudo seja realizado de forma sistemática e organizada, que fixem os conceitos e assim maximizem a competência e o domínio do usuário.

Nesse sentido, melhor do que apenas aprender a linguagem é utilizá-la em situações práticas e que proporcionam um conhecimento possível de ser aplicado no mundo profissional.

Com o programa Nanodegree Fundamentos de Data Science I, você aprenderá a programar em Python com uma ênfase em processamento e análise de dados – e assim entrar em um mundo em plena expansão.

Leia também:

Udacity Brasil