29 de mai de 2018

5 dicas para trabalhar como desenvolvedor front-end freelancer

Allison Stadd

Sem despertador. Sem roupa de trabalho. Sem fofoca perto do café. Sem chefe! A vida de freelancer é bastante libertadora: você pode escolher os projetos em que quer trabalhar, estabelecer sua própria agenda e seus próprios padrões de excelência.

Carreira criativas de todo tipo frequentemente incluem trabalho freelancer de alguma maneira. Em algum ponto de sua carreira como desenvolvedor front-end, é provável que você se veja buscando algum trabalho como freelancer.

Como em qualquer empreitada, há prós e contras neste tipo de trabalho. Mas há um fato concreto: para dar certo, é preciso ter projetos constante e consistentemente.

Como fazer isso? Veja abaixo 5 boas práticas para se situar nesse meio e conseguir trabalhar regularmente como desenvolvedor front-end freelancer.

Baixe o checklist de habilidades de um desenvolvedor front-end

5 dicas para um desenvolvedor front-end freelancer

1. Mantenha um portfólio estelar

Como freelancer, seu portfólio é seu cartão de visitas. GitHub, Behance ou um lindo site pessoal são boas opções para abrigar seu portfólio. Use seus trabalhos como uma oportunidade para refletir sua marca pessoal e apresentar de maneira direta suas melhores criações.

Em dúvida sobre o que incluir? Lembre-se que qualquer pessoa que veja seu portfólio terá uma primeira impressão e você quer que ela tenha uma ideia do espectro de projetos que você realizou. Portanto, faça uma boa curadoria, mas mantenha-a ampla para demonstrar suas diversas capacidades.

E se você não tiver nenhum projeto profissional feito, é possível criar um portfólio? Sim! Caso tenha algum muito bom feito num curso de programação, pode funcionar muito bem. Mas seja seletivo: você está em constante competição com outros desenvolvedores mais experientes.

Quando tiver dominado as habilidades, pode ser útil se oferecer para completar alguns trabalhos gratuitamente ou por um preço baixo para amigos e conhecidos. Assim, você pratica seus "músculos" de freelancer e consolida exemplos fortes de trabalho.

Leia: Google I/O 2018: 8 novidades que você precisa conhecer

2. Use o Twitter como ferramenta de networking

O Twitter pode ser um instrumento profissional extremamente poderoso quando utilizado da maneira correta (e ainda é possível salvar buscas para ter acesso agilizado no futuro). Alguns exemplos:

  • _Busque frases e hashtags relevantes_: ponha a barra de buscas do Twitter para funcionar
  • Pesquise frequentemente as conversas mais recentes sobre temas da área, companhias que você segue e desenvolvedores que respeita
  • Siga desenvolvedores que são referência diretamente, mas não deixe de pesquisar seus nomes: isso trará outros recursos enriquecedores e globais de quem conversa sobre eles
  • Use filtros avançados de pesquisa (sentimento, localização e datas) e obtenha resultados mais precisos: digite uma palavra na barra de buscas e clique em Busca Avançada e faça suas buscas com e sem hashtag
  • Entre em conversas no Twitter com outros desenvolvedores e potenciais clientes: postar em chats do Twitter permite que você se engaje em tempo real com contatos hiper relevantes – o The Frontier Group, por exemplo, tem um chat mensal (#NewWebFrontier) das 20h às 21h EST
  • _Siga listas no Twitter e forme as suas próprias_: descubra contas úteis e interessantes e categorize-as nesse formato para não perder ninguém. As listas podem ser públicas ou privadas (lembre-se de ativar este recurso). As categorias podem incluir "novos clientes para abordar", "conexões úteis" e por aí vai. Você também pode seguir as listas públicas de outros usuários se quiser.
  • Pesquise os seguidores de seus seguidores e também de quem você segue: este é o melhor jeito de encontrar pessoas que podem ajudá-lo. E conforme encontrar gente interessante, adicione-as em suas listas!

Leia: Como aprender a programar: 4 programadores relembram seus desafios iniciais

3. Ative seu LinkedIn

Quando você está constantemente buscando trabalho freelancer, o LinkedIn é sua ferramenta mais valiosa para estar ombro a ombro com potenciais clientes e para impressionar clientes (presentes e passados) que voltarão a lhe contratar. Algumas dicas úteis:

  • _Mantenha seu histórico de trabalho atualizado_: assim como seu currículo está atualizado, seu perfil de LinkedIn também deve estar. E não se esqueça de escrever um sumário bom e que resume seu background. É a primeira coisa que as pessoas veem depois de sua foto e seus cargos.
  • _Faça upload de exemplos de trabalho_: deixe seu trabalho falar por si só. Faça upload de arquivos ou inclua links (no sumário ou na seção de projetos) que ilustram sua experiência. Quando mais interessante for seu perfil, mais provável será um contato. Atenção: não replique seu portfólio inteiro. Selecione algumas peças muito boas e linke-as no resumo.
  • _Utilize o componente social da plataforma_: poste artigos interessantes e compartilhe, curta ou comente em artigos de outros. Este é um jeito rápido e fácil de formar novas conexões ou manter antigas conexões vivas. Você pode até acompanhar quantos views e curtidas estes posts e compartilhamentos conseguem para entender quanta tração seu networking tem ganhado.
  • _Participe de grupos relevantes_: grupos do LinkedIn têm um enorme potencial de networking. Compartilhar um grupo com um contato essencial permite que vocês se comuniquem por mensagem mesmo que não estejam oficialmente "conectados" (não se esqueça de configurar seu perfil dentro do grupo para permitir essas mensagens diretas). Busque grupos que lhe interessam, entre (quando forem abertos), peça para participar (quando forem fechados) e junte-se à conversa com líderes da indústria.
  • _Peça indicações (educadamente)_: divulgue-se ao pedir, com muito tato, que colegas, gestores ou clientes anteriores façam uma recomendação para você. É possível fazer isso formalmente via LinkedIn ou por e-mail, telefone ou pessoalmente. Você também pode tomar a iniciativa e reconhecer uma conexão valorosa com uma recomendação, tacitamente pedindo uma de volta.
  • _Examine as conexões de suas conexões_: uma boa introdução para um potencial cliente feita por alguém que conhece ambos é um jeito muito mais provável de conseguir trabalho que uma introdução sem motivo. Pesquise quem são as pessoas que você conhece que já estão conectadas com quem você quer conhecer. Nunca se sabe quem poderá estar no seu círculo.

4. Aproveite plataformas de vagas e oportunidades

Hubs de trabalho como Trampos, Revelo, Guru, Gun.io, Elance.com, Behance, Stack Overflow, GitHub Jobs e a seção de trabalhos no Craigslist podem ser um bom recurso para encontrar trabalho constante.

Lembre-se de se apresentar profissionalmente (sem erros ortográficos, por favor) e aplique apenas para os trabalhos que você pode fazer. Caso esteja se candidatando a um projeto fora do Brasil, o que é perfeitamente factível, lembre-se de deixar isso claro – isso pode orientar a seleção e a forma de pagamento.

Um detalhe: use esses quadros de trabalho como um complemento, não como única ferramenta para encontrar projetos. É preciso filtrar muitas coisas para chegar no que vale a pena e é bem mais provável que você encontre oportunidades de qualidade quando vierem de pessoas que você conhece.

5. Seja uma pessoa incrível no trabalho

Depois de conseguir um trabalho, o mais importante é entregar o que você prometeu. O melhor negócio traz novos negócios. Clientes frequentes têm mais chances de aumentar sua tarifa, recomendar seu trabalho e, de maneira geral, serem um job agradável já que você tem uma chance maior para estabelecer um relacionamento.

Como atrair clientes repetidos? Além de afiar suas habilidades técnicas, não se esqueça das habilidades interpessoais, ou soft skills. Isso significa ter boa comunicação, atenção a detalhes, adaptabilidade e eficiência.

Sempre entregue seu trabalho no prazo e, claro, garanta que o produto final está muito alinhado com as expectativas do cliente. Você quer que um projeto entregue dê às duas partes uma sensação de que seria ideal que vocês trabalhassem juntos novamente.

Entenda como desenvolvedores front-end trabalham em equipe

Leia: 5 plataformas gratuitas de desafios de programação para treinar suas habilidades

Trabalhar como freelancer: o resumo da história

Em 2014, 34% dos profissionais trabalhava como freelancer só nos EUA. Essa prevalência sugere que você, em algum ponto da carreira, tem mais chances de procurar um trabalho do tipo do que se manter apenas no arranjo tradicional.

Com essas dicas e o crescimento de formas de trabalho alternativas pelo mundo, você tem mais chances de encontrá-lo do que de ficar às margens.

E para se destacar constantemente, especialmente num universo tão dinâmico quanto o desenvolvimento front-end, é preciso estar sempre adicionando e fortalecendo habilidades – e este checklist gratuito da Udacity pode guiar suas buscas.

Artigo originalmente publicado no blog americano da Udacity

Sobre o autor
Allison Stadd