5 de out de 2018

Essa startup faz a ponte entre viajantes e mais de 600 agências de viagem

Udacity Brasil

Entre os 75 mil prestadores de serviços turísticos cadastrados pelo governo federal, estão as agências de viagem. E se você não lembra delas, saiba que existem muitos brasileiros que lembram e querem sua ajuda para planejar despreocupadamente os detalhes de uma viagem.

Para os empreendedores por trás da Tuuris.com – Eduardo Tamaki, Douglas Teruya, Fernando Esteves e Fellipe Soares – , faltava uma comunicação melhor entre as partes em tempos digitais. Em 2015, ao se preparar para uma viagem a trabalho para Nova York, o grupo passou presencialmente por uma agência de viagem e ficou surpreso com a qualidade (e o preço) do serviço. E enxergou ali uma oportunidade.

"Essas agências tradicionais ainda não estavam online”, lembra Fellipe, que atua como CMO. "Validamos a idéia batendo de agência em agência para perguntar se elas pagariam por tal solução.” Hoje, são mais de 600 agências parceiras.

A solução em si se tornou a plataforma, que conecta viajantes e agências. As pessoas preenchem formulários detalhados sobre o tipo de viagem que querem fazer e enviam para até cinco agências, que então avaliam a solicitação de acordo com suas especialidades.

Desde maio de 2017, quando a Tuuris.com foi fundada, mais de 1.600 viagens para diversos lugares do mundo já foram concluídas.

A experiência com o Nanodegree Startup Founder

O modelo de negócios atual da Tuuris.com – que hoje participa do programa We Work Labs, em São Paulo –, foi decidido durante a primeira edição do Nanodegree Startup Founder, que teve o CEO Eduardo Tamaki entre os graduados.

Entre os feedbacks dos especialistas da Udacity estava a sugestão de trocar o sistema de cobrança: substituir o pacotes de crédito por planos mensais de pagamento recorrente.

O grupo, que trabalha junto há quatro anos, já estava bem acostumado a mudanças – algo essencial no meio. “A Tuuris é um pivot de um comparador de preços chamado encontrebarato.com.br e do blog meubebe.com", comenta Fellipe. Na época do curso, a empresa estava na transição entre o MVP e a estrutura atual.

Pensando nos aprendizados do Nanodegree, Eduardo destaca também que aprendeu ali algo essencial para startups de sucesso: fazer um bom pitch. É essa a chave para colocar o pé na porta – principalmente de investidores.

Quando a Tuuris ficou entre as 10 melhores startups do curso e participou de um evento presencial em São Paulo, ele teve a chance de aplicar o que aprendeu ao vivo, na frente de diversos players do ecossistema empreendedor brasileiro. “Conseguimos muitos contatos que valeram a pena”, lembra.

Há diversas dicas para criar um bom pitch – usar frases assertivas, destacar a dor do cliente, usar métricas confiáveis –, mas um ponto fundamental em todo caso é afiá-lo através do treino. "Eu me preparei ensaiando alguns dias antes do evento, tanto o pitch quanto o psicológico”, diz Eduardo.

Os funcionários da Tuuris atualmente se dividem entre São Paulo, onde ficam as frentes de vendas, marketing e finanças, e Itajubá, onde há a área de TI e sucesso do cliente. Foi ali, na pequena cidade mineira, que Eduardo fez todo o curso.

“Se a pessoa tiver um tempinho livre e uma idéia pra tirar do papel, o Nanodegree é uma ótima ferramenta para te ajudar a colocar a mão na massa. Só o conhecimento que você adquire e os profissionais com que você têm a oportunidade de conversar já são ótimos resultados”, aconselha.

Saiba mais sobre empreendedorismo:

Sobre o autor
Udacity Brasil

A Udacity, conhecida como a "Universidade do Vale do Silício", é uma plataforma online e global que conecta educação e mercado para ensinar as habilidades do futuro – de data science e marketing digital à inteligência artificial e desenvolvimento. Hoje, há mais de 7 mil alunos ativos no país e 50 mil pelo mundo.