3 de abr de 2018

O que aconteceu no primeiro hackaton da história do Vaticano

Udacity Brasil

Em diversas ocasiões ao longo de seu papado, o Papa Francisco mostrou que está em sintonia com os avanços científicos e tecnológicos mundiais. Até quem acompanha seu dia a dia no Vaticano de perto, no entanto, ficou um pouco surpreso com a primeira edição do VHacks, um hackathon que aconteceu entre 8 e 11 de março dentro do próprio Vaticano.

O evento foi organizado em parceria com o think tank global OPTIC e um grupo de alunos da Harvard University e do Massachussets Institute of Technology (MIT), e teve patrocínio do Google, Microsoft, Salesforce e TIM.

Para participar, os 120 selecionados, que vieram de 60 universidades, passaram um processo online que tinha como pré-requisito apenas que matrículas vigentes na graduação ou na pós-graduação. Em Roma, passaram 36 horas programando suas ideias.

Havia três temas em pauta: inclusão social, diálogo inter-religioso e migrantes e refugiados. No primeiro, o objetivo era encorajar solidariedade entre seres humanos em um mundo cada vez mais digital. Já ideias para o segundo deveriam apoiar comunicação aberta entre indivíduos e organizações de diferentes fés.

Por fim, o tema migrantes e refugiados pedia soluções que fortalecessem, apoiassem e mobilizassem recursos para que essa parcela da população pudesse se realocar e integrar em novos lugares.

Para explicar a razão do VHacks, Lucio Adrián Ruiz, secretário de comunicação do Vaticano, resumiu: "O mundo precisa de soluções inteligentes para grandes problemas".

As soluções premiadas utilizaram tecnologia de ponta, de realidade virtual a machine learning, para entregar soluções factíveis. Confira abaixo os vencedores em cada categoria:

Quem são os vencedores do hackaton do Vaticano

Inclusão social

1º lugar

A co.unity criou um quadro de empregos local e crowdfunded voltado para os sem-teto. A ideia é enriquecer experiências vocacionais e desenvolver confiança entre membros da comunidade.

2º lugar

Zelixa, um aplicativo para Microsoft Hololens que auxilia pessoas com dislexia a aprimorarem sua habilidade de ler.

3º lugar

O app Xperience ajuda a unir pessoas frequentemente excluídas do convívio social e aquelas que querem compartilhar suas experiências, que se cadastram como “guias” e oferecem tours em tempo real dos lugares onde moram via streaming para interessados.

Diálogo inter-religioso

1º lugar

A plataforma do Duo Collegare conecta organizações e voluntários que querem agir em diversas áreas, de auxílio aos sem-teto a desastres naturais.

2º lugar

A aplicação de realidade virtual Faithstrings, em parceria com comunidades religiosas moderadas, permite que as pessoas experimentem de maneira imersiva o mundo e diversas religiões.

3º lugar

Uma extensão do navegador Chrome chamada pluralize auxilia indivíduos a descobrirem quais são as religiões mais frequentes em seus arredores e como saber mais sobre outras crenças.

Migrantes e refugiados

1º lugar

A Credit/Ability auxilia refugiados a agruparem seu histórico de crédito, o que por sua vez os auxilia em diversos aspectos, de empregabilidade ao acesso facilitado a serviços como moradia.

2º lugar

A aplicação Sajal dá a médicos cadastrados a possibilidade de escanear QR codes de migrantes e refugiados para acessar seu histórico médico e outras informações de saúde.

3º lugar

O aplicativo web Vinculum ajuda migrantes e refugiados que se perderam uns dos outros a se reencontrarem através do upload de fotos e uma avançada tecnologia de reconhecimento facial.

Udacity Brasil